Quarta-feira, 14 de novembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Os desafios da cana...  

21/07/2016 - O Brasil passa por um momento difícil, economia em frangalhos, total falta de credibilidade das instituições públicas, desajuste fiscal e instabilidade política que há muito não presenciávamos.

Quem liderará o processo de reversão deste quadro? Qual será o caminho para a retomada dos empregos e do desenvolvimento para o Brasil nas próximas décadas?

Talvez não seja fácil responder a qualquer pergunta relacionada ao ambiente político e a recuperação da economia brasileira. Mas podemos afirmar seguramente, que se existem alternativas, uma delas é a cadeia do agronegócio.

Após a recuperação da taxa de cambio, o Brasil recupera sua competitividade internacional. Estudos indicam que em 2050 teremos cerca de 9 bilhões de habitantes no planeta, com consumo per capita superior ao atual.

Este crescimento de demanda será concentrado na China e Índia, locais onde a capacidade produtiva já está muita próxima ao potencial de produção, com problemas sérios de sustentabilidade. Também teremos forte expansão de demanda na África, onde apesar de existir terras agricultáveis disponíveis, os problemas se concentram na estrutura política e cultura popular, com muitas dificuldades para organizar processos produtivos competitivos.

Neste cenário, o Brasil é visto como o maior responsável para atender as demandas crescentes de alimento nas próximas três décadas. Se não temos as melhores condições de escoamento da produção, tanto internas quanto em relação a portos, temos uma boa malha rodoviária, ineficiente e cara, mas capaz de possibilitar acesso a todo interior do País.

Devemos unir todos os esforços das cadeias produtivas, e juntos organizarmos uma demanda de infraestrutura que possibilite ao Brasil produzir e escoar sua produção, alimentando o mundo com alimento saudável e sustentável. Devemos aproveitar a oportunidade para agregar valor na cadeia, produzindo e processando proteína animal.

Devemos ainda estruturar um programa de marketing e adequação ao mercado para os produtos brasileiros, líderes de exportações no mundo, como o café, açúcar, suco de laranja, carnes, dentre outros.

Hoje o Brasil é responsável por cerca de 50% do açúcar comercializado no mundo. Em 2050, provavelmente seremos responsáveis por 60% deste mercado. Temos um compromisso assumido na COP21 de limparmos ainda mais nossa matriz energética, onde os biocombustíveis terão um papel preponderante.

O etanol é a grande esperança, pois não depende de subsídios e tem a tecnologia bastante avançada. Tanto em relação ao açúcar como o etanol, o Brasil tem espaço para agregar tecnologia e promover crescimento de produtividade, mas também será necessário expandir a produção em regiões mais novas.

Hoje nos deparamos com boa parte das indústrias do setor sem expectativa em relação ao futuro, pois o endividamento impossibilita a geração de caixa para pagar sequer o serviço da dívida.

Após a reestruturação desta dívida, é possível que algumas sejam adquiridas por outros grupos e se mantenham em operação, porém outras, possivelmente no futuro próximo paralisarão suas atividades.

Este quadro dificulta muito a realização de investimento e crescimento da capacidade de produção do setor, que foi solapado nos últimos 8 anos. Precisaremos imediatamente de uma política de restruturação financeira do setor, envolvendo governos e bancos, não para privilegiar os empresários, mas sim para viabilizar a continuidade da operação das unidades existentes, mesmo que adquiridas por outro controlador.

Será necessário um planejamento de desenvolvimento tecnológico e áreas de expansão, com linhas de crédito adequadas, tanto para pesquisa, investimento no campo e investimento nas indústrias.

Precisamos fortalecer a sustentabilidade de setor, possibilitando a todos o acesso às melhores práticas de produção, otimizando o aproveitamento no campo e na indústria, com máximo aproveitamento da biomassa produzida, tanto para produção de açúcar, etanol 1G ou 2G ou bioeletricidade.

Assim como o etanol contribuiu para redução do custo de produção do açúcar a partir da década de 1980, o aproveitamento do bagaço, tanto para etanol quanto para bioeletricidade, também será responsável por significativa melhoria da eficiência econômica e energética do setor.

A recuperação do setor, por sua vez, somente será possível com a recuperação da credibilidade das políticas públicas e do Governo. Assim poderão ser criados programas adequados para investimentos e crescimento, com linhas de crédito de longo prazo e custo adequado.

Acreditamos que o mercado deva funcionar livremente, sem intervenção do Governo, que deve apenas criar mecanismo permanente de ajuste tributário entre os combustíveis, reconhecendo economicamente as externalidades positivas dos combustíveis limpos, frente aos derivados do petróleo.

Temos um mercado em expansão, precisamos agora equilibrar a produção e viabilizar a expansão da capacidade. Para isso devemos priorizar o desenvolvimento tecnológico, desde a produção do campo com variedades adequadas a mecanização, sistematização da produção, equipamentos mais adequados para colheita da cana com qualidade, processamento da biomassa na indústria, otimizando o potencial energético da cana.

Com crescimento de produtividade necessitaremos de menos áreas e seremos mais competitivos, garantindo a sustentabilidade econômica do setor e contribuindo para melhor sustentabilidade do planeta.

Se cada um fizer sua parte, rapidamente colocaremos o Brasil em posição de destaque e respeito internacional.

Salve a Cana!

Salve o Agronegócio!

Salve os Brasileiros!

Salve o Brasil!

Celso Torquato Junqueira Franco
Presidente da UDOP
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
14/11/18 - Produção de açúcar da Índia em 18/19 ficará abaixo do previsto, a 30 mi t, diz grupo
  - Exportação de produtos agrícolas bate recorde no Porto de Paranaguá
  - Soja sobe em Chicago nesta 4ª com ajustes e novas informações - ainda tímidas - de demanda
  - Plantio da safra de milho no PR alcança 98% da área
  - Plantio da safra de soja no PR atinge 88% da área
  - Consumo de etanol hidratado cresceu 48,7% em MS
  - Conab inicia pesquisa para levantamento da safra de cana-de-açúcar
  - Importação de soja pela China deve cair a 91 mi t em 18/19, prevê Informa
  - Dólar passa por correção e cai ante real
  - Dólar e petróleo pressionam e derrubam cotações do açúcar
  - Bovespa tem sessão sem viés definido com JBS disparando após resultado; Vale cai 2 %
  - Bolsonaro anuncia diplomata Ernesto Araújo como ministro das Relações Exteriores
  - Proclamação da República e Feriado Municipal alteram expediente da UDOP
  - População é quem mais ganha com aumento nas vendas de etanol
13/11/18 - Fittipaldi fala em recuperação financeira lenta e culpa política do pré-sal
  - MS consome 48,7% a mais de etanol hidratado
  - Bunge investe em núcleo de mudas de cana para elevar produtividade
  - Queda na produção eleva cotações do açúcar
  - Produção de açúcar do centro-sul desaba abaixo de 1 mi t na 2ª quinzena de outubro
  - Açúcar: Indicador retoma casa dos 67 reais/saca
12/11/18 - Safra deverá evitar surpresas nos preços
  - Bunge investe em núcleo de mudas de cana para elevar produtividade
  - Moagem de cana recua 17% no Centro-Sul
  - Biosev vende mais uma usina no Nordeste do Brasil
09/11/18 - Safra de 2019 será de 226,7 mi de toneladas, queda de 0,2% ante 2018
08/11/18 - IBGE: safra 2019 será de 226,7 mi de toneladas (-0,2% ante 2018)
  - UDOP parabeniza Presidente Bolsonaro pela acertada escolha de Tereza Cristina na Agricultura
  - Contratos futuros do açúcar fecham mistos nos mercados
07/11/18 - Produção e consumo de biocombustíveis no país aumentam em 2018
  - UDOP e Fapesp firmam parceria para promover cooperação em pesquisa científica e tecnológica
  - Dobrar a oferta de etanol por novos sistemas produtivos e com menor emissão de carbono são desafios
  da inovação sucroenergética
25/10/18 - Combustível adulterado é ameaça no tanque
22/10/18 - Desembolso para programa de renovação de canaviais despenca, mas BNDES vê melhora
17/10/18 - Um futuro sustentável passa pelos biocombustíveis
16/10/18 - Gasolina sobe em 22 Estados, diz ANP; valor médio avança 0,47% no País
15/10/18 - Valor da gasolina cai nas refinarias, mas sobe nas bombas
  - Preços de importados nos EUA sobem 0,5% em setembro com alta de combustível
05/10/18 - ANP prorroga consultas públicas que visam atrair investimentos para combustíveis
03/10/18 - Nobel de Química 2018 vai para trio que desenvolveu proteínas com princípios da evolução
28/08/18 - Índia testa com sucesso avião movido a biocombustível
21/08/18 - Conab: produção de etanol de milho deve crescer e elevar demanda pelo grão
28/06/18 - Governo construirá trincheiras no acesso a usinas sucroalcooleiras
26/06/18 - Queimada controlada, doenças e pregas
24/05/18 - Geada continua afetando algumas áreas produtoras
21/05/18 - O lado escuro do superávit
21/11/17 - Diferença entre o imposto sobre carbono e o RenovaBio
05/04/17 - O berço do negócio sucroenergético
29/03/17 - Planejamento é a chave deste cenário
27/03/17 - Planejamento estratégico das organizações e associações
23/03/17 - A estrutura do setor precisa ser repensada
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Os desafios da cana...
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/