Segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Um pouco mais do mesmo para variar  

06/02/2017 - O mercado de açúcar em NY continua de lado, oscilando de maneira intensa como prevíramos no último comentário semanal, que 2017 será efetivamente um ano recheado de volatilidade. Não é um mercado para aqueles de coração fraco. Os fundamentos continuam os mesmos e os futuros oscilam ao sabor das rolagens dos fundos ou de qualquer notícia que apareça. Os números de previsão da produção de cana no Centro-Sul, divulgados por várias consultorias, são uma prova eloquente de como existem visões completamente diferentes sobre o quanto será produzido na safra que vai começar logo.

A Archer Consulting divulgou na semana passada a primeira estimativa de produção da safra 2017/2018 do Centro-Sul: 586 milhões de toneladas de cana, sendo uma produção de 35,428 milhões de toneladas de açúcar e 24,546 bilhões de litros de etanol, dos quais 10,771 bilhões de litros de litros de anidro e 13,774 milhões de litros de hidratado. Estimamos que o mix de produção será de 47% para açúcar e 53% para o etanol. Os números com os quais o mercado trabalha vão de 567 a 616 milhões de toneladas de cana. Se isso ocorre aqui, caro leitor, você ainda acredita nas previsões vindo da Índia? Pois é. Haja volatilidade.

Nos últimos cinco dias, o mercado variou mais de 100 pontos (máxima de 21.22, mínima de 20.13). O fechamento de sexta-feira, no vencimento março, foi de 21.11 centavos de dólar por libra-peso, uma variação positiva de 80 pontos, ou cerca de 18 dólares por tonelada. O mercado tem tentado quebrar a resistência de 21 centavos de dólar por libra-peso e finalmente conseguiu? Um alívio para os altistas - temporário, é verdade - que vai depender da reação dos baixistas na próxima semana. Como ninguém tem bola de cristal, é preferível não perder nenhuma oportunidade de fixação de venda.

Independentemente de para onde possa ir o futuro de açúcar em NY, acreditamos que será extremamente difícil, analisando os fundamentos do mercado neste momento, que os preços possam igualar os níveis altos alcançados no último trimestre de 2016. De lá para cá, o fato é que os preços em reais caíram próximo de 300 reais por tonelada em apenas quatro meses. Temos incentivado nossos clientes a fixarem seus preços ao longo da curva sempre que os valores convertidos estejam acima de 1,500 reais por tonelada. Nossa estimativa de preço médio para a safra 2017/2018, é de R$ 1,480 por tonelada, considerando NDF e incluindo prêmio de polarização que, diga-se de passagem, continua sendo bastante remunerador.

O dólar mais fraco em relação ao real e o mercado de petróleo com dificuldades de passar de 55 dólares por barril, vai ser difícil que tenhamos uma melhora na arbitragem entre o etanol e o açúcar. Enquanto isso, no mercado interno, o hidratado é negociado com um desconto ao redor de 350 pontos comparativamente ao açúcar VHP. O anidro, pouca coisa melhor, uns 30-40 pontos.

Um ponto que merece ser observado é que existe um sentimento de que o início da safra 2017/2018 vai sofrer atraso, o que está de certa forma refletido no spread maio/julho embora o prêmio hoje seja menor.

O comentário dessa semana está um pouco mais curto porque nesse momento estou embarcando para NY onde ficarei a semana que vem participando de um curso de gestão de risco ministrado pelo honorável Professor Nassim Nicholas Taleb, autor do livro "O Cisne Negro". Nosso compromisso de continuar disseminando o conhecimento sobre derivativos é a força motriz para esse aperfeiçoamento.

É com imenso pesar que soubemos do falecimento do Dr. José Luiz Zillo, empresário do setor e uma das lideranças mais destacadas que muito contribuiu para o crescimento da indústria sucroalcooleira. Tive o prazer em trabalhar na Copersucar no período em que ele era muito atuante. O setor perde uma referência de sua história.

*Texto originalmente publicado no portal Archer Consulting. Comentário semanal de 30/01/17 à 03/02/17.

Arnaldo Luiz Corrêa
Diretor da Archer Consulting
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
22/01/18 - ATR SP: preços do acumulado e mensal tiveram alta em dezembro
  - Etanol: anidro e hidratado fecham a semana com pequena alta no índice Cepea/Esalq
  - Com 200 km de estradas intransitáveis e pontes destruídas, prefeito de Novo Horizonte do Sul, MS,
  pede a agricultores que atrasem colheita
  - Brasil crescerá um pouco mais em 2018 e 2019, diz FMI
  - ANP: Etanol sobe em 23 estados e no Distrito Federal esta semana
  - Programa RenovaBio deve sair do papel em 2020
  - Gasolina, etanol e diesel no Brasil atingem novas máximas nos postos, diz ANP
  - RenovaBio vai trazer benefícios para a cidade
  - Açúcar: Nova York deve tentar manter movimento de recuperação
  - Vantagem do álcool em relação à gasolina pode superar 70%
  - Preços caem diante de preocupações com produção nos EUA
  - Soja: Preocupações com clima sustentam preços
  - Perspectiva: Demanda e clima na América do Sul continuam no radar do mercado de grãos
  - CBOT: Mercado de grãos deve abrir em alta, acompanhando o clima e demanda
  - Chuva retorna e eleva umidade do solo no RS
  - Depois de uma semana em queda livre, açúcar volta a subir nas bolsas internacionais
  - Desconstruindo o mercado de açúcar
19/01/18 - Afetada por chuvas e geada, safra de cana 17/18 em MS deve ser no mesmo patamar da anterior, diz
  Biosul
18/01/18 - Produtor reage à isenção do etanol americano
16/01/18 - Superavit de US$ 81,86 bilhões do agronegócio foi o segundo maior da história
  - Em relatório especial, INTL FCStone analisa mercado de commodities em 2018
09/01/18 - Lei do Bem: um caminho para ganhar eficiência e potencializar os benefícios do RenovaBio
08/01/18 - Setor sucroenergético é destaque nas exportações mineiras com 16,5% de participação no agronegócio
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Um pouco mais do mesmo para variar
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/