Quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Com a palavra... | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Com a palavra... Aumentar a letra    Diminuir a letra
O Brasil e o Acordo Climático Mundial  

09/02/2017 - Em meio a forte turbulência que nossa nave Brasil vive nos dias atuais, há uma macrotendência mundial que as forças políticas e econômicas brasileiras deveriam direcionar grandes esforços com o objetivo de tornar o país um grande protagonista na área da sustentabilidade.

Diz o ditado que, quem chega primeiro bebe água limpa, e assim o país deveria demonstrar ao mundo que realizará todos os esforços para cumprir suas metas estabelecidas no Acordo Climático mundial, elaborando políticas públicas não de governo, mas de Estado.

Em 2015, o Brasil assumiu em Paris cortar em 37% as emissões de gases do efeito estufa até 2025, comparado a 2005. E para 2030 assumiu a intenção de reduzir em 43% as emissões. Para isso, o país se comprometeu a aumentar a participação de bioenergia sustentável na matriz energética para 18% até 2030, restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas, assim como alcançar uma participação de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética nesta mesma data.

Antes de assustarmos com os números ou mesmo se perguntar o que cada brasileiro ganhará com isso, convido o leitor a uma reflexão importante. Muitas empresas já reclamaram aos "quatro cantos" da dura legislação, da burocracia e morosidade da área de meio ambiente no Brasil e, nesta hora, sempre nos comparamos com o resto do mundo, para justificar a nossa perda de competitividade.

Por exemplo, que país exige de seus produtores rurais a manutenção de 20% (no mínimo) de sua propriedade como reserva, ou seja, como área não produtiva? Em qual país o empreendedor precisa pagar um percentual do investimento realizado como compensação ambiental?Quantos países podem comemorar em ter mais de 40% da matriz energética composta por recursos renováveis como a nossa?

A questão que se coloca neste momento é como transformar uma série de exigências em valor e diferencial competitivo para nossos produtos no mercado, seja interno ou externo, gerando investimentos, emprego e renda para a população, captando recursos e financiamentos internacionais.

O Ministério de Meio Ambiente está articulando a elaboração de uma estratégia nacional para implementação e o financiamento da NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) brasileira. Financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), foi construído um documento base disponível no site http://www.mma.gov.br/clima/ndc-do-brasil com o objetivo de subsidiar esta estratégia nacional.

Até o dia 15 de março, o MMA irá receber contribuições da sociedade reunindo o maior número possível de informações para que a melhor estratégia possa ser traçada pelo Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas.

Ainda há um longo caminho a percorrer, mas a preocupação com a sustentabilidade não pode ser deixada de lado, assim como a necessidade de liderança do país frente a este importante tema no mundo, com o foco na geração de valor aos produtos brasileiros. Ganhará o meio ambiente, ganhará o país e nós brasileiros.

*Texto originalmente publicado no blog ´Mario Campos Blog´, no dia 03/02/17.

Mario Campos
É presidente da Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais (Siamig)
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
21/02/17 - Menor oferta de açúcar na Ásia continua sustentando alta dos preços da commodity
  - Irã compra até 250 mil t de açúcar bruto do Brasil
  - Demanda enfraquecida mantém pressão sobre indicador
  - Cotações têm novas quedas em SP
  - Tailândia vai abandonar subsídio a açúcar e controle de preços até fim do ano
  - PIB: Previsão para Minas Gerais é de aumento de 8,15% em 2016
20/02/17 - Muitas Incertezas na Safra 2017/18
  - Como Serão as "Estrampulias" em 2017?
  - Com chuvas regulares, perspectiva é de boa safra de cana-de-açúcar na região de Jaú (SP)
  - Açúcar: preços encerram a semana em baixa
  - Senado dos EUA aprova nome polêmico para a Agência de Meio Ambiente
  - Risco de El Niño no segundo semestre chega a 40%
  - O papel da tecnologia na geopolítica do petróleo
  - Diminuição das chuvas nas regiões Central e Norte deve favorecer colheita
17/02/17 - ATR SP: Preços no acumulado sobem 0,87% em janeiro
  - Novos horizontes comerciais para o bagaço
  - Aspectos polêmicos sobre operações financeiras/tributárias no setor da bioenergia serão tema de
  curso
16/02/17 - Governo projeta mercado futuro de biocombustíveis no país
  - Governo lança programa para aumentar produção de biocombustíveis
  - Governo apresenta programa para expandir a produção de biocombustíveis no país
15/02/17 - Reunião hoje no MME discute diretrizes do Renovabio
  - Poluição causou a morte de 4 milhões de pessoas no mundo em 2015
  - Biomassa & Hidrogênio no radar do CNPE
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
O Brasil e o Acordo Climático Mundial
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/