Sexta-feira, 24 de novembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Etanol Aumentar a letra    Diminuir a letra
China quer ampliar o uso do etanol até 2020  

13/09/2017 - A China pretende ampliar o uso de etanol combustível a todo seu território, segundo um projeto governamental apresentado nesta quarta-feira (13) e que demonstra o desejo de Pequim de reforçar a luta contra a poluição e de buscar possibilidades para os colossais excedentes de milho.

"Está previsto apoiar até 2020 o uso de etano combustível no conjunto do país e garantir uma cobertura máxima completa, reforçando as capacidades da indústria dos biocombustíveis", afirma o documento divulgado pelo NDCR, o poderoso órgão de planejamento econômico, em cooperação com a Administração de Energia.

Os biocombustíveis estão relegados a um patamar mínimo na China, o maior mercado automobilístico do planeta, onde representam apenas 1% do volume de produtos petroleiros consumidos.

Posteriormente, "até o fim de 2025, (o país) deverá começar a produzir em grande escala etanol a base de celulose (matéria vegetal) e a melhorar suas tecnologias para alcançar os padrões internacionais", completa o texto.

O objetivo é reduzir as emissões de gases que provocam o efeito estufa para diminuir a poluição atmosférica nas grandes cidades chinesas, mas também "um melhor uso das produções agrícolas vencidas ou excedentes".

O etanol pode ser produzido a partir de cana-de-açúcar, mas também do milho. A China possui um excedente colossal de milho em suas reservas, avaliado em mais de 200 milhões de toneladas.

Grande parte da colheita nas regiões norte e nordeste da China é comprada por órgãos estatais, em particular para manter os preços.

A China reduziu a previsão de colheita de milho para 2017/18, mas as autoridades buscam maneiras de esgotar os gigantescos excedentes nacionais, de qualidade frequentemente inferior e que deterioram com o tempo.

A longo prazo, o país tem outros ingredientes em vista para os biocombustíveis. "A China produz anualmente mais de 400 milhões de resíduos vegetais de palha ou silvicultura, 30% deles poderiam ser utilizados para produzir 20 milhões de toneladas de biocombustíveis", destaca a Administração de Energia.

Atualmente, o consumo chinês de biocombustíveis alcança 2,6 milhões de toneladas por ano. A China é o terceiro maior país produtor - muito distante de Estados Unidos e Brasil - e espera aumentar sua produção a quatro milhões de toneladas até 2020.

Fonte: AFP
Texto extraído do portal G1
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
24/11/17 - Empresa brasileira inicia produção de etanol a partir da soja
  - Estoques baixos puxam etanol na usina antes da entressafra, mas perda de competitividade com
  gasolina, mesmo em alta, preocupa
  - Urgência para o RenovaBio
  - Projeto de lei que cria Renovabio tramitará em regime de urgência
  - Sauditas devem disputar mercado de petróleo após IPO da Aramco, diz JP Morgan
  - RenovaBio pode começar a funcionar a partir de 2019
  - Excesso de chuvas pode reduzir ainda mais safra de grãos no PR
  - Aprovação do RenovaBio vai ser "virada de mesa" para o setor
  - Hidrelétrica de Jirau é a usina com maior disponibilidade de geração do país
  - Soja volta do feriado nos EUA operando com leves quedas em Chicago nesta 6ª feira
  - Endividamento das famílias cai a 41,4% em setembro, revela BC
  - Macro/Cepea: Agronegócio produz mais a preço menor e ajuda no controle da inflação
  - Chuvas irregulares atrasam plantio de soja
  - Dólar fecha 3ª semana de queda e vai a R$3,23, com maior otimismo sobre Previdência
  - Ecorodovias diz que caixa está robusto e perfil de dívida está confortável
23/11/17 - A hora e a vez da energia renovável
20/11/17 - Combustível de borra de café abastece ônibus de Londres
14/11/17 - Prática empresarial
  - Na COP23, brasileiros mostram que bioenergia pode reduzir emissão de carbono
  - Apesar dos pesares, energia limpa é um caminho sem volta
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
China quer ampliar o uso do etanol até 2020
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/