Terça-feira, 17 de outubro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Dívida bruta do governo pode superar os 100% do PIB em 2020  

10/10/2017 - A dívida bruta do governo geral pode superar em 2020 os 100% do PIB (Produto Interno Bruto, medida de produção e renda do país), segundo cálculos da Instituição Fiscal Independente (IFI) divulgados nesta segunda (9).

O órgão do Senado, que acompanha as contas públicas, revisou seus cenários usando novas estimativas para taxa básica de juros, crescimento do PIB, inflação e resultado primário do governo (receitas menos gastos, excluindo os juros da dívida).

Nos três (básico, otimista e pessimista), a porcentagem da dívida sobre o PIB foi elevada e o tempo que levará para que ela comece a cair foi alongado. Isso ocorre mesmo com a nova previsão para a taxa de juros básicos nominais ao final deste ano reduzida de 9% para 7%.

Juros menores teriam três efeitos positivos: a) diminui o custo da dívida; b) estimula o investimento e o consumo, levando a mais arrecadação e melhor resultado nas contas do governo; c) leva a maior crescimento econômico, elevando o denominador da relação dívida/PIB.

No entanto, no médio prazo, o efeito é anulado pela piora nas projeções para o deficit primário de 2017, de R$ 142,9 bilhões em junho para R$ 154 bilhões neste mês.

O cenário pessimista, o segundo mais provável, de acordo com o órgão, leva em consideração os riscos de insolvência do setor público, já que a margem fiscal -espaço para cortes nas despesas discricionárias- é decrescente e deve se esgotar em 2019.

O crescimento incontido das despesas obrigatórias fará a dívida superar o PIB e continuar crescendo. "Trata-se de um cenário inquietante, porém distante de ser absolutamente improvável", afirma o relatório.

A previsão é mais pessimista que a de junho, na qual os 100% seriam atingidos entre 2021 e 2022 e a relação chegaria a 124,5% do PIB em 2030.

Os parâmetros são juros crescentes até uma média de 12% entre 2019 e 2030, crescimento econômico de 1% ao ano e rombo nas contas públicas até pelo menos 2027.

Segundo a IFI, a única forma de evitar a dívida crescente e sem controle são reformas que segurem os gastos obrigatórios e aprofundem o ajuste fiscal, para que os juros reais continuem baixos.

Consultado, o Ministério da Fazenda reafirma que a forma mais eficiente de controlar o crescimento dos gastos obrigatórios é aprovar a reforma da Previdência.

No cenário básico, o mais provável, a dívida bruta cresce até 93,5% do PIB, em 2025, para então começar a cair.

A trajetória de alta é mais longa que a prevista em junho (92,4% em 2023) e setembro (93,3% em 2024), porque as projeções de deficit fiscal pioraram. Por esse cenário, no fim de 2017 a dívida bruta deve estar em 76,2% do PIB.

"Demorará alguns anos para o país restabelecer o equilíbrio fiscal e afastar por completo o risco de insolvência", observa o relatório.

Para isso, ainda, são precisos crescimento médio superior a 2,0% para o PIB, juros reais entre 4,0% e 4,5% ao ano e superavits primários já a partir de 2024.

Já o cenário otimista, o menos provável, aconteceria com crescimento superior a 3% e juros reais em torno de 3%. Exigiria também contenção mais profunda e mais rápida do gasto obrigatório.

A IFI não faz recomendações de políticas; o objetivo é divulgar os dados e produzir cenários, para embasar os debates sobre tais políticas.

Mesmo com todas essas condições, a dívida em proporção do PIB sobe até 2022, quando começa a cair.

Ana Estela de Sousa Pinto
Fonte: Folha de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
16/10/17 - Opep prevê expansão `saudável´ da demanda por petróleo até 2022
  - Reservatórios do SE/CO operam com 20,7% da capacidade
  - Pesquisa do governo indica que 67% da malha rodoviária têm boas condições de uso
  - Fazenda defende imposto sobre combustíveis fósseis
  - FMI alerta para risco de retrocesso da política econômica na América Latina
  - Superávit da balança na 2ª semana de outubro foi de US$ 586 milhões
  - Aneel habilita duas vencedoras do leilão de usinas da Cemig
  - Petrobras anuncia queda de 0,10% no preço da gasolina e alta de 1,40% no diesel
  - RS ganha nova rota de transporte para grãos
  - Ministério de Minas e Energia divulga Boletim de Combustíveis Renováveis de maio/junho
  - Em nove meses, exportação de soja em Paranaguá supera volume de 2016
  - Perspectiva: Mercado de grãos repercute dados do USDA e clima no Brasil e nos EUA
  - Dólar sobe e volta ao patamar de R$3,17 com cena política mais sensível
11/10/17 - Quem é o novo diretor da ANP
  - Preço do gás de cozinha pode superar R$ 85
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Dívida bruta do governo pode superar os 100% do PIB em 2020
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/