Domingo, 17 de dezembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Cana-de-açúcar Aumentar a letra    Diminuir a letra
Cana-de-açúcar em Goiás tem cenário positivo na safra 2017/18  

10/10/2017 - Goiás é o segundo maior produtor de cana-de-açúcar do Brasil, perde apenas para São Paulo, e há estimativa de melhora nos patamares de produtividade em relação à safra 2017/2018, um crescimento de 7,5% e uma produção que pode chegar a 70 milhões de toneladas, conforme estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Um dos motivos para esse cenário positivo é a maior quantidade de chuva.

O analista técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag) e da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Alexandro Alves, explica, no entanto, que para um resultado melhor que o registrado na safra passada (67 milhões de toneladas) é preciso ainda aguardar o resultado das chuvas e o comportamento da produtividade para que a colheita não termine mais cedo e se tenha o resultado esperado.

Um impulso que se refletirá em toda a cadeia e na economia, já que Goiás responde por mais de 10% da produção nacional. Por outro lado, é preciso considerar, como pondera, que houve atraso no início pleno da colheita este ano em função do prolongamento das chuvas e a área a ser colhida também caiu 3%, passou de 962 mil hectares para 930 mil hectares. "O que compensa é a expectativa de aumento de produtividade".

Ele afirma que o Estado está entre os que possui as condições mais favoráveis para o plantio. "São mais de 12 milhões de hectares aptos e o clima facilita com período bem definido de chuva e seca, tem a questão da declividade, áreas planas que facilitam a colheita, além de terras relativamente baratas ao se comparar com São Paulo e Minas Gerais. Há condições de crescimento e é líder em investimentos", descreve.

Já esse movimento de redução de área, segundo a Conab, tem relação com o fato de que as áreas de expansão para a cultura têm diminuído a cada safra, principalmente próximo às áreas de esmagamento. Isso porque há procura de áreas de terceiros e há renovação com variedades mais produtivas e resistentes a pragas e doenças.


Açúcar e etanol

Na distribuição do mix da produção, a destinação para fabricação de açúcar teve aumento de 14%, bem maior do que para o etanol nesta safra, que registou variação de 0,9%. "A produção de açúcar deve passar de 2,1 milhões de toneladas para 2,3 milhões de toneladas em função de que no começo do ano o preço estava interessante no mercado internacional e muitas usinas firmaram contrato com clientes externos", pontua Alves. A produção goiana de açúcar é a quarta maior do Brasil.

O etanol terá decréscimo de 2%, o que o analista considera leve e pontual. Caiu de 4,4 bilhões de litros para 4,3 bilhões de litros. "Goiás é o segundo maior produtor de etanol, que é a maior produção, 75% da matéria-prima vai para o etanol e 25% para o açúcar". O presidente dos Sindicatos da Indústria de Fabricação de Açúcar e de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg/Sifaçúcar), André Rocha, completa que a diferença neste ano será pequena.

"O crescimento é pouco para o açúcar. E começou com ATR baixo e que não recuperou", argumenta Rocha sobre o Açúcar Total Recuperável (ATR) - o que representa a capacidade da cana de ser convertida em açúcar ou etanol. Para ele, que também é presidente do Fórum Nacional Sucroenergético, a produção corre o risco de não ser tão melhor quanto a do ano passado pelo clima seco e é preciso aguardar.

"Nós ainda não alcançamos a safra passada até o início de setembro. Temos de lembrar que a safra passada foi inferior a de 2015/2016". Para o diretor e presidente da Jalles Machado, Otávio Lage de Siqueira Filho, do meio desta safra para frente o etanol deve ter maior crescimento, o açúcar pode ter uma diminuição devido a diferença de preço e a expectativa ainda é positiva porque, no ano passado, houve quebra intensa e seca grande.

"A quebra de safra foi de quase 18% e isso foi ruim para a empresa, mas com o preço melhor conseguiu direcionar para o açúcar e isso ajudou a fazer receita e manter o faturamento com menos produtos. Este ano, a gente tem safra maior porque choveu mais", diz ao afirmar que a previsão da Jalles é de moer 4,6 milhões de toneladas de cana enquanto foram 4 milhões de toneladas em 2016.

09/10/17
Fonte: Mais Goiás
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
15/12/17 - CTBE divulga 22ª edição do Boletim de Monitoramento da cana-de-açúcar em São Paulo
  - Logística: Cabotagem cresce 42,5% em novembro no terminal de contêineres de salvador
  - Setor sucroalcooleiro perto de atingir meta
  - Chuva retorna as áreas produtoras do Sul do BR
  - MDIC diz que Rota 2030 deve ser lançado na próxima semana
  - O que esperar da Cana em 2018
  - Preços do açúcar caem mais uma vez no mercado externo
  - Emílio anuncia saída e mudanças no Conselho de Administração da Odebrecht
  - Setor solar está prestes a atingir 10 gigawatts graças à China
  - Moagem de cana em MG já atinge 99% da previsão
  - Fiesp divulga boletim Macro Visão
14/12/17 - Procura por etanol cresce 48% em outubro em comparação com 2016
  - Açúcar: preços fecham mistos no mercado futuro em Nova York e Londres
  - Sindaçúcar-PE divulga parcial da safra de cana em Pernambuco
  - Plantada na palhada da soja, cana chega a 90 t/ha, ganha mais cortes, reduz custos operacionais e de
  insumos
  - Diana Bioenergia adere a plano de combate a incêndios
11/12/17 - Produção de cana-de-açúcar registra queda no Oeste Paulista em 2017
  - Qualidade da cana produzida melhora apesar da diminuição da produção
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Cana-de-açúcar em Goiás tem cenário positivo na safra 2017/18
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/