Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Combustíveis Fósseis Aumentar a letra    Diminuir a letra
Brasil acelera para arrecadar com petróleo antes de "era renovável", diz secretário  

11/10/2017 - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) não deverá ter ajuda do Brasil em seus esforços para reduzir a oferta da commodity, uma vez que o país pretende impulsionar a produção e a exploração nos próximos anos para monetizar suas reservas, disse à Reuters o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Paulo Pedrosa.

Na véspera, o secretário-geral da Opep, Mohammed Barkindo, pediu ajuda até mesmo dos Estados Unidos para reduzir a oferta global da commodity e disse que os produtores norte-americanos de petróleo de xisto deveriam se preocupar também com um eventual impacto de uma queda nos preços.

O ministro do Petróleo da Venezuela, Eulogio del Pino, disse no início de outubro que foram feitos convites para que entre mais 10 e 12 países se juntem aos esforços da Opep para cortar A produção. Segundo ele, os convidados são da América do Sul e da África.

"Houve um momento em que havia uma preocupação, no sentido de que essa é uma riqueza que deve ser explorada com cuidado, para que as próximas gerações se aproveitem dela. E cada vez mais é o contrário, a gente tem que acelerar o aproveitamento dessa riqueza", disse Pedrosa.

Ele disse não ter conhecimento de um contato da Opep para que o Brasil se junte aos esforços de corte de oferta.

Ainda assim, segundo Pedrosa, atender um chamado desses não faria sentido para o país, nem com uma redução na produção da Petrobras e nem com a desaceleração da oferta de novas áreas para exploração.

"A Petrobras é uma empresa que hoje é conduzida pela lógica empresarial, não vejo interesse do país em decidir levar a Petrobras a uma decisão que não seja a que faz mais sentido para ela. E nem faz sentido a gente reduzir a oferta de áreas para exploração futura", disse Pedrosa.

Ele defendeu que o Brasil tem de aproveitar suas reservas antes que o mundo entre em uma "era renovável", em que outras tecnologias ganharão importância, como a energia solar e os carros elétricos, com impacto sobre a demanda por petróleo.

"A idade da pedra não acabou por falta de pedra, e a idade do petróleo não acabará por falta de petróleo. Começou a haver uma corrida para aproveitar o recurso que se tem, porque lá na frente ele pode não ter valor", adicionou o secretário.

A produção de petróleo do Brasil em agosto somou 2,576 milhões de barris por dia, com queda de 1,3 por cento ante igual mês de 2016, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A título de comparação, a Rússia, líder global em produção, registrou a extração de 10,9 milhões de barris por dia em petróleo em agosto.

A Petrobras responde por 94 por cento da produção brasileira, segundo a ANP, em um ranking com os maiores operadores do país, seguida pela norueguesa Statoil, com 3 por cento, e a Shell, com 1,3 por cento.

Do lado da oferta de áreas para exploração e produção, o Brasil já possui rodadas de licitação agendadas para 2017, 2018 e 2019, e há planos para outras.

O secretário de Petróleo e Gás do Ministério de Minas e Energia, Márcio Félix, disse nesta semana que o governo avalia sinalizar a realização de ao menos dois leilões de novas áreas por ano também para 2020 e 2021.

Além disso, está em avaliação a ideia de agendar leilões para vender os direitos da exploração dos excedentes da chamada Cessão Onerosa, em que a Petrobras fechou contrato para explorar 5 bilhões de barris de óleo equivalente sem licitação.

Segundo Félix, a área da cessão onerosa pode ter de 5 a 10 bilhões de barris além dos cedidos à Petrobras. O governo avalia vender essas reservas possivelmente em mais de um leilão, com o primeiro deles em 2018.

Luciano Costa
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
14/12/17 - Petrobras reduz gasolina e diesel em 2% a partir de amanhã
  - Grãos/Stratégie: safra europeia pode subir 2% na temporada 2018/19, para 304,9 mi de t
  - Dólar sobe ante real com temores sobre reforma da Previdência
  - Governo sobe para 1,1% estimativa oficial de alta do PIB neste ano e vê expansão de 3% em 2018
  - Venda de combustíveis do Brasil em 2017 terá pequena alta ante 2016, diz ANP
  - Câmara rejeita emenda do Senado e mantém isenções a petrolíferas até 2040
  - Especialistas temem greve de caminhoneiros em protesto ao aumento do diesel
  - Municípios produtores de petróleo e mineração caem em ranking do PIB
  - Petróleo recua com aumento preocupante da produção dos EUA
  - Petrobras manifesta interesse por áreas de dois Irmãos, Três Marias e Uirapuru
  - Petrobras anuncia queda de 2% nos preços da gasolina e do diesel
  - CNI projeta crescimento do PIB de 2,6% em 2018
  - Mercado de trabalho melhora, mas desemprego não cai, diz Ipea
  - Aumento da produção de petróleo dos EUA ameaça equilíbrio do mercado em 2018, diz IEA
  - Dólar sobe e caminha para R$3,35 com reforma da Previdência só em 2018
13/12/17 - Aneel libera fotovoltaica do RN para operação em teste
  - Preço médio da gasolina no país é o mais alto da história
12/12/17 - Brasil deve exigir mais de petroleiras em troca de concessões no Repetro
  - Petrobras: gasolina e diesel sobem nesta quarta-feira
11/12/17 - Costa Rica gerou apenas energia renovável em 300 dias consecutivos
08/12/17 - Comissão aprova incentivo para energia renováveis em projetos de irrigação
  - O Etanol pode substituir o diesel?
  - Com conta de luz, grupo Habitação sobe 1,27% e gera impacto no IPCA, mostra IBGE
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Brasil acelera para arrecadar com petróleo antes de "era renovável", diz secretário
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/