Sexta-feira, 17 de novembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Setor portuário teme interrupção na hidrovia Tietê-Paraná  

09/11/2017 - A possibilidade de interrupção da navegação na hidrovia Tietê-Paraná é real e preocupa transportadores de carga e usuários do Porto de Santos. A paralisação do tráfego na via navegável deve acontecer após o fim da safra de grãos, em dezembro. O tema foi discutido durante o Fórum Conheça o Porto, que aconteceu na noite da última segunda-feira (6), no auditório da Universidade Católica de Santos (UniSantos).

Promovido por A Tribuna, o evento integra o projeto Conheça o Porto, uma iniciativa do Grupo Marimex, com o apoio da Praticagem de São Paulo. Esta 7ª edição do fórum também teve o apoio da UniSantos.

Para discutir os desafios para a implantação do modal hidroviário no cais santista, participaram do fórum o consultor Rui Gelehrter, o engenheiro do Departamento Hidroviário do Estado (DH) Pedro Victoria Júnior e o diretor de Relações com o Mercado e Comunidade da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Cleveland Sampaio Lofrano. E também a coordenadora do curso de Engenharia Civil da UniSantos, Márcia Aps, e o professor de Portos, Rios e Vias Navegáveis da universidade, Juarez Ramos da Silva.

A mediação do debate ficou a cargo do editor de Porto & Mar, Leopoldo Figueiredo.

Segundo os especialistas em logística, o transporte hidroviário é mais limpo, eficiente e tem os menores custos operacionais na comparação com os outros. Uma barcaça é capaz de transportar até 1,3 mil toneladas de mercadorias. Para atingir esse volume seriam necessários 25 caminhões.

O engenheiro Pedro Victoria Júnior, do DH, vê como um risco real a interrupção do transporte de cargas na hidrovia Tietê-Paraná. Mas, segundo ele, desta vez o Operador Nacional do Sistema (ONS) criou um fórum com especialistas em meteorologia para debater a questão.

Para esta quarta-feira (08), está prevista nova reunião que vai definir a manutenção da cota dos reservatórios de Ilha Solteira e Três Irmãos em 325,4 metros acima do nível do mar. Atualmente, seu trecho mais raso tem 3,1 metro de profundidade e as barcaças precisam de ao menos três metros para trafegar totalmente carregadas e sem restrições.

O temor é de que o desvio de sua água para os reservatórios das hidrelétricas, a fim de garantir a geração de energia, inviabilize as operações da hidrovia.

"Por enquanto, a navegação está mantida até o dia 15. Uma alternativa é aguardar até o fim da safra, em 15 de dezembro, quando o volume transportado na hidrovia é reduzido. Depois, com as chuvas de fevereiro, a situação pode se restabelecer", destacou o engenheiro.


Acessos portuários


Para o diretor da Codesp Cleveland Lofrano, se isso se concretizar, os acessos ao Porto de Santos não serão comprometidos. No entanto, para a coordenadora dos cursos de Engenharia da UniSantos, Márcia Aps, o temor é de que, com a temporada de verão, quando o volume de veículos que descem a Serra do Mar com destino às cidades da Baixada Santista é intensificado, sejam registrados congestionamentos nos acessos rodoviários à região.


Hidrovia do Porto

Pensando em reduzir os custos do transporte de cargas, a Docas pretende concluir até 29 de dezembro o projeto da Hidrovia do Porto de Santos. O cronograma ainda pode ser antecipado, segundo Lofrano.

A iniciativa da Docas prevê utilizar rios e canais de navegação da região para o transporte de cargas entre pontos do cais e entre o complexo e a área retroportuária. Uma das opções é ter uma linha de barcaças ligando o terminal da Usiminas, no Canal de Piaçaguera, em Cubatão, e a Libra Terminais, na Ponta da Praia, em Santos.

A estimativa é de que 350 mil TEU (unidade equivalente a um contêiner de 20 pés) sejam transportados pela hidrovia por ano.

A ideia é que as cargas virão da Capital ou do Interior até o cais da Usiminas por ferrovia e, lá, serão embarcadas em barcaças e seguirão até os terminais, explicou Lofrano.

"O regramento foi encaminhado à Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários) e estamos esperando essa aprovação. A nossa ideia é que esse primeiro momento seja um período de isenção para atrair cargas ao modal, uma espécie de carência", destacou o diretor da Autoridade Portuária.


Contra tarifas


Para o consultor Rui Gelehrter o ideal é que o transporte hidroviário não seja tarifado. "Não pode ter tarifa. Se caminhão não tem, barcaça também não pode ter. O maior incentivo é não taxas. Por favor, não vamos estragar a matriz ideal".

08/11/17
Fernanda Balbino
Fonte: Jornal A Tribuna
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
17/11/17 - Clube da Cana reúne setor sucroenergético para planejar o futuro da produção no País
  - Previsão de mais chuvas reduz custo de operação do sistema elétrico
  - CBOT: Mercado de grãos tende a abrir em alta; soja monitora demanda e clima
  - Taxas futuras de juros seguem em baixa na esteira do dólar
  - Falta trabalho a 26,8 milhões de pessoas no País no 3º trimestre, aponta IBGE
  - Chuva favorece pastagem pelo Brasil
  - País adota compromisso por biocombustíveis
  - Leilão da ferrovia Norte-Sul deve ocorrer somente no segundo trimestre de 2018, diz fonte
  - Economia brasileira vive período de desinflação e recuperação, diz Goldfajn
  - Cresce a confiança do consumidor, indica pesquisa do SPC e CDNL
  - 20 países planejam abandonar o uso do carvão até 2030
  - DOU: Transportes disciplina reprogramação de investimentos em rodovias concedidas
16/11/17 - O bom e o mau na exportação
  - Sistema portuário do país movimenta 279,3 milhões de toneladas de carga no terceiro trimestre
  - Entrada de dólares supera saída em US$ 7,180 bi no ano até 10 de novembro, diz BC
13/11/17 - Iniciativa privada é apontada como saída a gargalos logísticos
10/11/17 - Governo cria sistema para identificar barreiras comerciais às exportações
  - Porto de SC quer quadruplicar capacidade para enfrentar novos vizinhos chineses
09/11/17 - Hidrovia liga região Centro-Oeste ao Porto de Santos
07/11/17 - Iniciativa privada pode tornar ágil desenvolvimento da logística no país
  - Investir em logística é melhor que subsidiar ineficiência, dizem especialistas
  - Estado de conservação das rodovias piora em 2017, diz CNT
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Setor portuário teme interrupção na hidrovia Tietê-Paraná
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/