Sexta-feira, 17 de novembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Hidrovia liga região Centro-Oeste ao Porto de Santos  

09/11/2017 - O Porto de Santos atende a 16 dos 27 estados do Brasil, além do Distrito Federal. Para isso, as cargas com origem ou destino nessas regiões contam com rodovias, ferrovias e, principalmente, rios para seu transporte. Em relação à malha fluvial, o destaque fica por conta da Hidrovia Tietê-Paraná, via de navegação com uma extensão atual de 2,4 mil quilômetros, sendo 1,6 mil no Rio Paraná e 800 no Rio Tietê.

Esses dois rios têm percursos estratégicos para o comércio exterior. O Paraná tem seu leito navegável desde São Simão (Goiás) até a Usina do Itaipu (PR). Nesse trajeto, divide os estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo e o Paraná do Paraguai. O Tietê o completa, nascendo no centro paulista e desaguando no próprio Paraná.

Na cadeia de negócios do Porto de Santos, a hidrovia atende principalmente os produtores agrícolas dos estados da Região Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás) e de parte de Minas Gerais, Rondônia e Tocantins.

A navegação na hidrovia é feita principalmente com eclusas, elevadores hidráulicos instalados ao lado das quedas dos rios, permitindo que um navio passe de um nível ao outro.

O transporte de cargas é feito por barcaças, que são balsas tradicionalmente sem sistema de propulsão. Nesses casos, há a necessidade de serem empurradas por rebocadores.

Esse meio de transporte se mostra estratégico para movimentar cargas em longas distâncias (superiores a 600 quilômetros). Nessas condições, comparado com rodovias e ferrovias, consome menos combustível e emite menos poluentes por tonelada movimentada por quilômetro percorrido - tem maior eficiência energética e é mais ecológica. Também apresenta menor ruído e registra um número inferior de acidentes.

Outra característica operacional da hidrovia é seu relativo baixo custo. Novamente considerando cada tonelada movimentada por cada quilômetro, seus gastos são aproximadamente a metade dos de uma ferrovia e quase um terço dos de uma rodovia.

Desde o início do século, a Hidrovia Tietê-Paraná mais que quintuplicou sua movimentação de cargas - principalmente soja, milho e açúcar para serem embarcadas em Santos. Em 2000, escoou um total de 1,7 milhão de toneladas. No ano passado, chegou a 8,74 milhões de toneladas.

08/11/17
Fonte: A Tribuna
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
17/11/17 - Previsão de mais chuvas reduz custo de operação do sistema elétrico
  - País adota compromisso por biocombustíveis
  - Clube da Cana reúne setor sucroenergético para planejar o futuro da produção no País
  - DOU: Transportes disciplina reprogramação de investimentos em rodovias concedidas
  - Chuva favorece pastagem pelo Brasil
  - Economia brasileira vive período de desinflação e recuperação, diz Goldfajn
  - 20 países planejam abandonar o uso do carvão até 2030
  - Cresce a confiança do consumidor, indica pesquisa do SPC e CDNL
  - Leilão da ferrovia Norte-Sul deve ocorrer somente no segundo trimestre de 2018, diz fonte
16/11/17 - O bom e o mau na exportação
  - Entrada de dólares supera saída em US$ 7,180 bi no ano até 10 de novembro, diz BC
  - Sistema portuário do país movimenta 279,3 milhões de toneladas de carga no terceiro trimestre
13/11/17 - Iniciativa privada é apontada como saída a gargalos logísticos
10/11/17 - Governo cria sistema para identificar barreiras comerciais às exportações
  - Porto de SC quer quadruplicar capacidade para enfrentar novos vizinhos chineses
09/11/17 - Setor portuário teme interrupção na hidrovia Tietê-Paraná
07/11/17 - Investir em logística é melhor que subsidiar ineficiência, dizem especialistas
  - Iniciativa privada pode tornar ágil desenvolvimento da logística no país
  - Estado de conservação das rodovias piora em 2017, diz CNT
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Hidrovia liga região Centro-Oeste ao Porto de Santos
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/