Sábado, 20 de janeiro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Etanol Aumentar a letra    Diminuir a letra
RenovaBio vai remunerar a produção limpa  

14/11/2017 - O estímulo à produção de combustíveis limpos está em pauta no governo brasileiro. O RenovaBio, programa que tem o propósito de traçar estratégia para incentivar a produção de biocombustíveis, vai remunerar os produtores dessas substâncias, como é o caso do etanol. De acordo com o Sindicato da Indústria do Açúcar no Estado de Pernambuco (Sindaçúcar-PE), o programa do Governo Federal se apresenta com o objetivo de ampliar a produção brasileira do etanol de cerca de 27 bilhões de litros para 50 bilhões de litros, em 2030.

O RenovaBio vai funcionar com a criação de um mercado para retenção do Dióxido de Carbono (CO2) da atmosfera, pois os biocombustíveis são capazes de reter essa substância. Os produtores que gerarem mais energias limpas - como o etanol, biodiesel, bioquerosene de aviação, biogás e biomassa - com retenção de CO2 serão recompensados. Segundo o diretor de biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), Miguel de Oliveira, os produtores de biocombustíveis no Brasil podem ter a solução do problema do aquecimento global, que provoca inúmeras mudanças climáticas.

"O programa vai medir a retenção do CO2 nas usinas e o governo vai gerar uma nota pela eficiência. Quanto maior a retenção, maior a nota. O biocombustível vendido será multiplicado pela nota, gerando o Crédito de Descarbonização por Biocombustíveis (CBIO)", explicou Oliveira. O CBIO será vendido para remunerar o produtor que retirar CO2 da atmosfera. Quem não produzir combustível limpo não vai gerar CBIO e terá que comprar de quem optar pelo método ou será multado.

Segundo o presidente do Sindaçúcar-PE, Renato Cunha, os produtores estão em busca de estímulos extras dentro da própria cadeia produtiva para ganhar mais dinheiro. Quem optar pela produção de combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, terá ônus. "Hoje, o setor gera cerca de 2 milhões de empregos diretos e indiretos. Com a maior geração, esses empregos devem crescer para 4 milhões", ressaltou Cunha. Pelas simulações do MME, o RenovaBio pode gerar R$ 1,4 trilhão de investimentos até 2030. O programa proposto pelo ministro Fernando Coelho Filho está com o planejamento e a regulamentação concluídos, dependendo da aprovação do presidente Michel Temer.

Eduarda Barbosa
Fonte: Folha de Pernambuco
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/01/18 - Arábia Saudita eleva exportação de refinados para compensar cortes em petróleo
  - País busca produzir de maneira mais sustentável, diz ministro da Agricultura
  - Logística: Agricultores da Bahia recuperam cerca de 220 km de estradas em 2017
  - Produção de açúcar da Índia faz preços da commodity caírem em Nova York
  - Afetada por chuvas e geada, safra de cana 17/18 em MS deve ser no mesmo patamar da anterior, diz
  Biosul
  - Índice de investimentos de empresas caiu 0,7% de outubro para novembro, diz Ipea
  - Governo estuda mudanças em programas de seguro e subvenção a produtores rurais
  - Preços do etanol no Brasil em alta abrem janela para importação dos EUA
  - Chuvas irregulares preocupam produtores no RS
  - Agronegócio: Uma Máquina de Geração de Renda ao Brasi
  - Agronegócio: Saldo da Balança Comercial sobe 3,7% e fecha 2017 em US$ 13,9 bilhões
  - Disponibilidade de turbinas de Itaipu chegou a 97,10% em 2017
  - Liquidações financeiras de energia nuclear e cotas somam R$ 839,5 mi, diz CCEE
  - Esqueça petróleo: Sauditas miram energia renovável na Am. Latina
  - Embrapa, uma empresa da sociedade brasileira
18/01/18 - Agricultura: Maggi só reverá tarifa sobre etanol se estudo mostrar que medida não se justifica
  - Após repercussão, Maggi diz que rever taxa de etanol importado depende de estudos
  - Produtor reage à isenção do etanol americano
17/01/18 - Análise Datagro: Preços mais atrativos impulsionam produção de etanol no Norte-Nordeste
  - Ministro diz que sobretaxa de 20% na importação de etanol pode ser revista
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
RenovaBio vai remunerar a produção limpa
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/