Sexta-feira, 24 de novembro de 2017
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
CNA defende flexibilidade nas regras que definem indústrias fragmentadas para fins de defesa comercial  

14/11/2017 - A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou da consulta pública do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) sobre habilitação das indústrias fragmentadas para fins de defesa comercial. A entidade fez sugestões à minuta da portaria que trata do assunto e pediu flexibilidade nas regras do processo.

"A CNA mostrou a necessidade de adequação dos requisitos dos procedimentos de defesa comercial à realidade dos setores fragmentados. O tema é de extrema relevância para o setor agropecuário, que é composto por milhões de estabelecimentos espalhados por todo o País", destaca Gabriela Coser, assessora técnica da Superintendência de Relações Internacionais da CNA.

A entidade propõe, por exemplo, a flexibilização nos prazos para apresentação de informações aplicadas a certos setores, que podem ter grandes dificuldades em encontrar informações atualizadas em estudos públicos ou privados.

"Setores caracterizados como indústria fragmentada sofriam uma série de penalidades, principalmente para conseguirem comprovar que a produção doméstica está sendo prejudicada por práticas desleais no comércio internacional", ressalta Gabriela.

Neste contexto, quando comparada a uma indústria padrão, a atualização dos dados para uma indústria fragmentada é mais complexa. A obtenção de dados contábeis obtidos diretamente de produtores nacionais é muitas vezes impraticável, dado que certos setores fragmentados podem ser formados por milhares de produtores dispersos por todo o País.

A CNA também apresentou seu posicionamento sobre o tema em reunião com representantes do Departamento de Defesa Comercial (DECOM), responsável pelos processos de defesa comercial no MDIC. O DECOM indicou que iria levar em conta as sugestões apresentadas e comentou diversos pontos apresentados pelo setor privado.

"Conforme o caso, a CNA recomenda que o DECOM possa ponderar sobre o nível de prova necessário para qualificar um setor como fragmentado, tendo em vista a melhor informação disponível a cada setor e o seu grau de fragmentação", pontua a assessora técnica.

Recentemente a CNA entrou com o pedido de renovação dos direitos de antidumping para o leite em pó da União Europeia e da Nova Zelândia, cujos preços do produto exportado para o Brasil são, artificialmente, deprimidos pela prática de dumping.

Com a nova portaria, o governo pretende regulamentar como se caracteriza uma indústria fragmentada. Nesse processo, a CNA defende uma habilitação simplificada como indústria fragmentada para os setores que possuam um número muito superior de produtores.

"A modernização do processo possibilitará a participação mais efetiva de indústrias fragmentadas ao sistema de defesa comercial, como é o caso do setor agropecuário", finaliza Gabriela Coser.

Fonte: CNA/Senar
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
24/11/17 - Excesso de chuvas pode reduzir ainda mais safra de grãos no PR
  - Hidrelétrica de Jirau é a usina com maior disponibilidade de geração do país
  - Aprovação do RenovaBio vai ser "virada de mesa" para o setor
  - RenovaBio pode começar a funcionar a partir de 2019
  - Sauditas devem disputar mercado de petróleo após IPO da Aramco, diz JP Morgan
  - Chuvas irregulares atrasam plantio de soja
  - Dólar fecha 3ª semana de queda e vai a R$3,23, com maior otimismo sobre Previdência
  - Soja volta do feriado nos EUA operando com leves quedas em Chicago nesta 6ª feira
  - Ecorodovias diz que caixa está robusto e perfil de dívida está confortável
  - Endividamento das famílias cai a 41,4% em setembro, revela BC
  - Macro/Cepea: Agronegócio produz mais a preço menor e ajuda no controle da inflação
  - Estoques baixos puxam etanol na usina antes da entressafra, mas perda de competitividade com
  gasolina, mesmo em alta, preocupa
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
CNA defende flexibilidade nas regras que definem indústrias fragmentadas para fins de defesa comercial
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
Se não consegue ler a palavra, clique aqui.
Digite a palavra:
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/