Terça-feira, 23 de janeiro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Prática empresarial  

14/11/2017 - Na busca do entendimento da palavra sustentabilidade pela sua origem etimológica, vamos perceber que é quase uma redundância, definida por substantivo feminino que traduz a "característica ou condição do que é sustentável". Mas, quando afinamos o seu entendimento, percebemos o quanto o termo vem sendo utilizado e aplicado para definir o modus operandi de um indivíduo ou de uma organização. A sustentabilidade passou a ter importância nos últimos 20 anos, tornando-se agenda da sociedade, contrariando a aposta que seria um modismo de gestão ou comportamento.

Enquanto não sedimentarmos a consciência sustentável, seguiremos criando formas e métodos para manter a agenda do tema ativa, e sendo criativos para recuperar o estrago feito pelo crescimento urbano desordenado, dos avanços tecnológicos sem medir consequências e do retorno do capital sem a consciência da perpetuidade.

Por isso, entendo que essa recuperação será mais efetiva se focarmos na sustentabilidade empresarial, que traz como bandeira a adoção de atitudes éticas e práticas que visem ao crescimento econômico, sem agredir o meio ambiente e colaborar para o desenvolvimento da sociedade. Partindo desse princípio, darei o foco na sustentabilidade empresarial, a partir da minha experiência de gestão em uma empresa que, por natureza do seu negócio, já tem no seu DNA o conceito e o espírito de atuação baseado nessa bandeira - a Odebrecht Agroindustrial, produtora de energia limpa e renovável.

A nossa estratégia tem como pilar principal o desenvolvimento local, através do programa Energia Social, voltado para a sociedade e a preservação ambiental com indicadores feitos para avaliar os resultados e gerar a consciência sustentável nos atores das atividades produtivas.

Com esse programa, criamos a metodologia para aplicar recursos financeiros na comunidade voltada para o desenvolvimento sustentável local, com o envolvimento participativo de decisão compartilhada. Dessa forma, foi criado o Conselho Comunitário, formado por representantes do governo municipal, da comunidade e da empresa.

Esse Conselho analisa as recomendações dos projetos definidos pelas Comissões Temáticas - atividades produtivas, educação, cultura, saúde, segurança e meio ambiente - formadas por integrantes técnicos, especialistas, profissionais e interessados da própria comunidade local. Dessa forma, a Odebrecht Agroindustrial implantou mais de 70 projetos de interesse social e sustentável nos nove municípios, em quatro estados, do entorno da sua localização, beneficiando mais de 150 mil pessoas.

Dentre os projetos implantados, um mereceu o reconhecimento da ONU em 2016, o "Acreditar na Diversidade", que atuou na capacitação das pessoas portadoras de deficiência no Pontal do Paranapanema-SP, para, em seguida, inseri-las no mercado de trabalho. Com viés ambiental, vale destacar o projeto "Recuperação das Nascentes no Araguaia".

Com o enfoque na atividade produtiva e na geração de renda, gosto de destacar a Cooperativa das Costureiras em Perolândia-GO, que teve a dura missão de reunir as costureiras locais, organizá-las, obter os equipamentos e trazer um parceiro para a qualificação e fornecimento de tecido (Tecido Santista) para a fabricação de uniformes a serem utilizados na própria indústria sucroenergética. Recentemente, o programa Energia Social implantou as instalações para a "Mediação de Conflito Local" em Costa Rica-MS, projeto inovador e com um perfil de vanguarda da comunidade e governantes municipais.

Tratamos aqui a sustentabilidade empresarial contribuindo para obtenção da consciência sustentável dos indivíduos e sua relação com o meio ambiente e sociedade em que vivem, mas nada substituirá o processo educativo para se criar a consciência sustentável, com o envolvimento das escolas de ensino básico, das academias, empresas e associações de classe.

No momento em que se alcance essa desejada consciência sustentável plena, as estruturas empresariais e ações organizadas para fomentar a sustentabilidade não mais precisarão existir. Enquanto a consciência sustentável plena dos indivíduos não chega, acredito que os compromissos assumidos no Acordo de Paris poderão vir a orientar o empenho e o engajamento de todos os setores produtivos.

Assim, teremos resultados ainda testemunhados pelas gerações presentes e uma melhor qualidade de vida para as futuras. Espero que a atitude irracional e a consciência não sustentável de quem abandonou o Acordo de Paris não contamine ou ameace os avanços alcançados com os compromissos assumidos. Falta muito para que haja a consciência sustentável plena dos indivíduos. Então vamos seguir pensando no conjunto de ações nas empresas, dirigidos para o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento sustentável da sociedade.


*Artigo originalmente publicado no Anuário de Sustentabilidade do Sistema Sucroenergético da Revista Opiniões - 2017.

Genésio Lemos Couto
Diretor de Pessoas, Comunicação e Sustentabilidade da Odebrecht Agroindustrial
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
23/01/18 - Confiança do empresário do comércio em janeiro sobe 15% na comparação com 2017
  - Cana: Atvos (ex-Odebrecht Agroindustrial) adere a pacto contra corrupção
  - Diretor da Aneel diz que expectativa é de manutenção da bandeira verde em fevereiro
  - Nível dos reservatórios no Nordeste sobe 0,1% e chega a 16,5%
  - MME publica portaria com regras para cálculos de garantias de UHEs e UTEs
  - Revisão da CPFL Paulista pode resultar em aumento médio de tarifas de 15,15%
  - Energisa MT pode ter aumento tarifário de 8,36%
  - Em Davos, Meirelles diz que Brasil pode superar crescimento de 3% em 2018
19/01/18 - Esqueça petróleo: Sauditas miram energia renovável na Am. Latina
18/01/18 - Brasil toma a decisão política de ingressar à Irena
17/01/18 - Investimento global em energia limpa somou US$ 333,5 bilhões, aponta BNEF
  - Aumento de 53GW em energia solar na China impulsionou o investimento global em energia limpa em 2017
05/01/18 - Atvos: Transformando sonhos em realidade
03/01/18 - MME terá 87% dos recursos para investimentos da União em 2018
15/12/17 - Atvos é reconhecida pela inclusão dos trabalhadores com deficiência
13/12/17 - Grupo Atvos apresenta nova marca em jantar que reuniu autoridades
12/12/17 - Odebrecht Agroindustrial muda nome para Atvos e fala em novos investimentos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Prática empresarial
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/