Domingo, 15 de julho de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Comissão aprova Política Nacional de Biocombustíveis  

12/12/2017 - A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou nesta terça-feira (12) o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 160/2017, que cria a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), como o etanol e o biodisel, produzidos, por exemplo, a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Proposta segue agora com urgência para análise do Plenário.

O RenovaBio é uma política de Estado que pretende reconhecer o papel estratégico de dos biocombustíveis na matriz de energia nacional, tanto para a segurança energética quanto para redução de emissões de gases causadores do efeito estufa.

O autor do PLC é o deputado Evandro Gussi (PV-SP). Entre os demais objetivos do Renovabio, estão o de contribuir para o cumprimento pelo Brasil do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, garantir a eficiência energética e redução nas emissões de gases, expandir a produção e uso de biocombustíveis, além de assegurar a competitividade dessas fontes no mercado nacional.

Para atingir esses objetivos, o PLC propõe o uso de metas de redução de gases, certificação, adição compulsória de biocombustíveis aos combustíveis fósseis, incentivos fiscais, financeiros e creditícios, além das ações em conformidade com o Acordo de Paris.

Inspirado na experiência norte-americana, o texto propõe ainda a utilização de créditos de descarbonização, concedidos a produtoras de biocombustível de acordo com a proporção de energia limpa por elas produzida. Quanto maior essa proporção, a empresa obterá mais créditos. Os créditos serão negociados na bolsa de valores e comprados por setores que precisam deles como contrapartida pela emissão de carbono de suas próprias produções.

"Para cada litro de biocombustível vendido, o produtor ganha o direito de ir na bolsa e emitir uma determinada quantidade de Créditos de Descarbonização. A demanda por esses Créditos virá de diversos setores, como o das distribuidoras de combustíveis, setor de aviação, fundos de investimento ´verdes´ de instituições financeiras e demais agentes que precisam adquirir créditos de descarbonização em contrapartida pela emissão de carbono de suas atividades produtivas", apontou o relator na CAE, senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE).


Segurança energética


No relatório, favorável ao texto, ele afirmou que o Brasil é o segundo maior produtor mundial de biocombustíveis, tendo gerado 27 bilhões de litros de etanol e 4,2 bilhões de litros de biodiesel em 2017. Apesar desses números, argumentou Bezerra, "o Brasil nunca possuiu uma política específica para todos os biocombustíveis, de maneira conjunta. Tampouco foram criadas as bases para o desenvolvimento sustentado dessa atividade".

Ele ainda sustenta que o RenovaBio é importante porque não abrangerá apenas o etanol e o biodiesel, já consolidados no país. De acordo com Fernando Bezerra Coelho, pode se beneficiar também a produção de biogás, biometano (biogás purificado) e bioquerosene de aviação.

"Em síntese, o PLC oferece uma solução que estimula o mercado a partir de mecanismos de mercado; estimula eficiência, competitividade, desempenho ambiental; induz a redução de custos de produção; agrega valor com menor dependência externa; gera emprego e renda; contribui para o compromisso no Acordo de Paris; é fundamental para a segurança energética do abastecimento de combustíveis".

No último dia 5, representantes da indústria e da produção do biodiesel se reuniram com o presidente do Senado, Eunício Oliveira, e pediram a aprovação do PLC 160. Se aprovado sem alterações no Plenário, o texto vai à sanção presidencial.


Fonte: Agência Senado
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
13/07/18 - Etanol se confirma como combustível mais vantajoso neste ano
  - EPE lança estudo sobre os "Cenários de Oferta de Etanol e Demanda de Ciclo Otto 2018-2030"; UDOP
  participa do lançamento
  - Ministério de Minas e Energia divulga Boletim Mensal de Energia referente ao mês de abril
  - Bovespa oscila sem viés definido com mercado internacional e notícias corporativas no radar
  - Produtores de milho de MT querem aumentar produção de etanol de milho para 3,5 bilhões em 5 anos
  - Comissão discurte definição de teto de juros para Plano Agrícola 2018/19
  - Juros futuros recuam com ajustes e inversão do dólar para baixo
  - Usinas de cana empregam menos, porém pagam mais
  - Tempo seco favorece a colheita da cana-de-açúcar
  - Mercado de açúcar deve registrar superávits globais consecutivos em 2017/18 e 2018/19
  - Centro-Sul deve processar menor volume de cana desde 2014/15
12/07/18 - Especialistas defendem incentivo à produção de biocombustíveis
  - Regulamentação do RenovaBio deve ser flexível para não prejudicar o setor
  - EPE participa da 6ª audiência pública com a Comissão de Mudanças Climáticas no Senado
  - Milho safrinha sofre consequências da estiagem
  - RenovaBio já está em fase de regulamentação, afirmam participantes de audiência
11/07/18 - Oferta de etanol no Brasil pode dobrar até 2030 com investimento e RenovaBio, diz EPE
  - Etanol: Vendas de hidratado têm aumento de 47% no Centro-Sul
  - Etanol/Unica: venda total sobe 23,18% em junho; mercado interno cresce 27,4%
10/07/18 - Senado promove audiência pública para debater RenovaBio
06/07/18 - Produção de etanol em Mato Grosso deve crescer em 1,5 bilhão de litros dentro de dois anos
05/07/18 - Biocombustíveis: agência dos EUA propõe aumento de 3% na exigência para 2019
  - Portaria do Ministério de Minas e Energia flexibiliza uso do biodiesel
03/07/18 - Temer indica André Pepitone para o cargo de diretor-geral da Aneel
21/06/18 - Em vídeo divulgado pelo Planalto, narrador diz que governo não tem como tabelar preços
14/06/18 - Fux dá 48 horas para Temer e órgãos do governo explicarem MP sobre fretes
13/06/18 - Política de preços dos combustíveis e monopólio da Petrobras são criticados em audiência
  - Mercado da soja em Chicago entra em calmaria com o aperto de mão de Trump/Kim Jong-Un
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Comissão aprova Política Nacional de Biocombustíveis
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/