Segunda-feira, 22 de janeiro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Opinião Aumentar a letra    Diminuir a letra
Novo choque positivo na agricultura  

12/01/2018 - Não dá para dizer que será um recuo, como os mais pessimistas preferem enfatizar. Nesta quinta-feira, tanto o IBGE como a Conab, organismos que aferem o comportamento das safras agrícolas do País, divulgaram novas projeções de 2018. A mensagem é de que teremos a segunda maior colheita de grãos da história. Não dá nem para reclamar de que será menor do que a anterior, porque os novos números já apontam resultados melhores do que os previstos há dois meses e os próximos também têm tudo para serem melhores do que os atuais.

Para o IBGE, serão 224 milhões de toneladas de grãos, queda de 6,8% em relação à produção de 2017. Para a Conab, 228,0 milhões de toneladas, redução de 4,1%. São números provavelmente conservadores, pois o regime de chuvas de estação, embora um pouco atrasado, veio bem melhor do que o inicialmente previsto pelos meteorologistas.

A percepção geral dos brasileiros formados nos anos 60 e 70, fortemente influenciada pela Cepal, a Comissão Econômica para a América Latina, ainda é de dar mais valor à industrialização na estratégia de desenvolvimento econômico. Tende a considerar a agropecuária como atividade de baixa agregação de valor e prejudicial à indústria. Certos economistas chegam a recomendar a adoção de um confisco (Imposto sobre Exportação) sobre as vendas de produtos agrícolas ao Exterior, porque entendem que a forte entrada de dólares produz valorização excessiva do real (doença holandesa), fator que tiraria competitividade da indústria.

Por conta dessa herança cultural, digamos assim, o brasileiro ainda reluta em ver a agricultura como grande fonte de desenvolvimento e de renda. Só mais recentemente é que começou a entender que "agro é pop e é tech", como diz a mensagem publicitária, e que isso tem a ver com modernidade.

Já dá para antever impactos da excelente safra agrícola também desta temporada. Um deles é o de que tende a repetir-se em 2018 o choque positivo de oferta de alimentos, o mesmo que ajudou a derrubar a inflação em 2017. Em princípio, a expectativa de baixa pressão sobre os preços dos alimentos ajuda a segurar os demais preços.

Outro impacto benéfico será sobre a renda. Graças ao retorno da safra anterior, o agricultor está mais capitalizado e deverá reforçar o caixa com a nova colheita - a depender dos preços globais das commodities agrícolas que, na média, estão relativamente estáveis.

Esse reforço de caixa deverá refletir-se em aumento do poder aquisitivo, a partir do interior do País. É fator que deverá compor-se com o da melhoria geral do emprego e com a queda do custo de vida. Ou seja, melhoram as condições reais da economia.

O quanto dessa melhora será percebido pelas pessoas comuns é outra questão. Ainda nesta quinta-feira, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, reconheceu que a população demora para sentir a melhora porque continua impactada pela crise e pela memória da alta dos preços acontecida há mais de um ano. Mas é questão de tempo.

11/01/18
Celso Ming - Colunista

Fonte: O Estado de S. Paulo
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
22/01/18 - Superávit da balança comercial soma US$ 1,837 bilhão até 3ª semana de janeiro
  - Vantagem do álcool em relação à gasolina pode superar 70%
  - RenovaBio vai trazer benefícios para a cidade
  - Reservatórios do Norte operam com 28,6% da capacidade
  - Programa de resposta da demanda entra em operação
  - Chuva retorna e eleva umidade do solo no RS
  - CBOT: Mercado de grãos deve abrir em alta, acompanhando o clima e demanda
  - Perspectiva: Demanda e clima na América do Sul continuam no radar do mercado de grãos
  - Soja: Preocupações com clima sustentam preços
  - Preços caem diante de preocupações com produção nos EUA
  - Brasil crescerá um pouco mais em 2018 e 2019, diz FMI
  - Com 200 km de estradas intransitáveis e pontes destruídas, prefeito de Novo Horizonte do Sul, MS,
  pede a agricultores que atrasem colheita
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Novo choque positivo na agricultura
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Medalha da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/