Sábado, 17 de fevereiro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia | Energia | Espaço Datagro
Etanol | Fórum de Articulistas | Investing.com | Investing.com Internacionais | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Mercado otimista aposta em safra de soja do Brasil mais perto de recorde, apontam analistas  

08/02/2018 - O otimismo do mercado em relação à safra de soja 2017/18 do Brasil aumentou, e consultorias e instituições projetam, em média, uma produção já mais próxima do recorde registrado na temporada anterior, de acordo com a mais recente pesquisa da Reuters sobre o ciclo atual.

Pelo levantamento, que consultou 11 agentes do mercado, o Brasil deverá produzir na safra vigente, já em colheita, 112,6 milhões de toneladas da oleaginosa, volume inferior apenas ao de 114,1 milhões de 2016/17 e acima do considerado na pesquisa anterior, de 110,2 milhões.

Na quinta-feira, dois importantes órgãos governamentais, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), atualizarão suas projeções para a safra do Brasil.

Na média, a previsão de área plantada com soja no maior exportador global da oleaginosa é de um recorde de quase 35 milhões de hectares, e segundo a consultoria AgRural há colheita em mais de 6 por cento desse total, em linha com a média histórica recente, mas inferior na comparação anual.

A consultoria figura como a mais otimista dentre as ouvidas pela pesquisa, prevendo inclusive uma produção superior à de 2016/17, com 116,2 milhões de toneladas.

"O aumento... deveu-se a ajustes positivos nas produtividades esperadas no Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Rondônia e nos três Estados do Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul)", explicou a AgRural em comunicado divulgado na semana passada, quando atualizou seus números.

O otimismo atual contrasta com as preocupações no início do plantio, em meio a uma seca.

"O clima se mostrou irregular no início da temporada, mas se comportou bem principalmente nas últimas semanas, fazendo com que algumas regiões que sentiam `estresse´ conseguissem boa recuperação nas condições, contribuindo para uma produtividade ligeiramente acima do esperado", comentou à Reuters o diretor da Cerealpar, Steve Cachia.

Mais conservador, o Rabobank avalia a safra 2017/18 apenas como "dentro da normalidade", estimando colheita de 111 milhões de toneladas.

"Apesar da área maior, este ano temos verificado alguns problemas pontuais que justificam uma redução de produtividade. Entre esses problemas podemos citar alguns períodos de falta de chuvas em algumas regiões produtoras no Sul do país durante o mês de dezembro", afirmou Victor Ikeda, analista da instituição.

Com efeito, o Rio Grande do Sul é o Estado onde, desde o plantio, há sinal amarelo quanto à qualidade da safra. Em razão de condições climáticas favoráveis para fenômeno La Niña, a região recebeu menos chuvas do que o normal, cenário que tende a se manter em fevereiro.

Conforme o Agriculture Weather Dashboard, do terminal Eikon da Thomson Reuters, as precipitações no Rio Grande do Sul devem ficar abaixo da média histórica para as próximas duas semanas.


Milho

Também em colheita Brasil afora, o milho de primeira safra, o chamado "verão", mostrou-se mais consolidado e sofreu poucas alterações nas estimativas de analistas e instituições ouvidas pela Reuters.

Na média de oito previsões, é esperada uma colheita de 25,34 milhões de toneladas em uma área de 4,84 milhões de hectares --no levantamento anterior, eram 25,27 milhões e 4,88 milhões, respectivamente.

As projeções são, contudo, sensivelmente menores frente o registrado em 2016/17. No caso da produção, a queda deve ser de 17 por cento, enquanto a área deve recuar quase 12 por cento.

A razão por trás disso são os preços, que caíram após uma produção recorde no ano passado e foram considerados pouco atrativos por produtores.

Segundo o monitoramento diário do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, a saca de 60 kg do cereal gira atualmente em torno de 33 reais, ante mais de 36 reais há um ano e bem longe dos 50 reais vistos em meados de 2016, durante uma quebra de safra por causa da seca.

Na fase de plantio, no último trimestre do ano passado, chegou a cair abaixo de 30 reais.

07/02/18
José Roberto Gomes

Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
16/02/18 - ANP dá início à consulta sobre atividade de produção de Biocombustíveis
  - Dólar acumula maior perda semanal em 7 meses ante o real, de 2,45%
  - Açúcar em NY preso à rolagem dos fundos; menor liquidez do março pode fundamentar preços semana que
  vem
  - ANTT reajusta pedágio em trecho da BR-101 explorado pela Autopista Fluminense
  - Presidente Executivo da UDOP toma posse no Conselho de Ciência, Tecnologia e Inovação de Araçatuba
  - Soja: Seca na Argentina garante continuidade das altas dos preços em Chicago nesta 6ª
  - Colheita do milho tem leve avanço no Rio Grande do Sul
  - Exportação de soja do Brasil tem ritmo mais lento ante fevereiro de 2017
  - Chuvas abundantes em fevereiro ameaçam colheita de soja em boa parte do Brasil
15/02/18 - Notas: Vaivém das Commodities
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Mercado otimista aposta em safra de soja do Brasil mais perto de recorde, apontam analistas
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/