Quinta-feira, 21 de junho de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Dólar fecha em alta ante real com exterior e fluxo de saída  

13/03/2018 - O dólar fechou em alta sobre o real nesta terça-feira, depois de passar boa parte da sessão em queda, com fluxo de saída e a demissão do secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, ofuscando a percepção de que os juros norte-americanos não vão subir mais do que o esperado após dados de inflação comportada.

O dólar avançou 0,13 por cento, a 3,2621 reais na venda, depois de marcar a máxima de 3,2659 reais na sessão e 3,2382 reais na mínima. O dólar futuro tinha leve alta de 0,05 por cento no final da tarde.

"A saída de Tillerson é um fator de instabilidade, deixa o mercado mais cauteloso", comentou o gerente de câmbio de uma corretora local.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou mais cedo que substituiu Tillerson pelo diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês), Mike Pompeo. Os investidores ficaram cautelosos com a incerteza sobre a política externa dos EUA no futuro, que envolverá negociações sobre o comércio e com a Coreia do Norte.

O dólar caía ante a cesta de moedas, mas passou a subir ante divisas de países emergentes à tarde, como o peso mexicano e o rand sul-africano.

Mais cedo, o dólar foi negociado em queda sobre o real, com o mercado respirando mais aliviado com dados fracos de inflação nos Estados Unidos reforçarem apostas de que os juros na maior economia do mundo não vão subir mais do que o esperado.

"Com o núcleo (da inflação) ainda confortavelmente abaixo da meta, o Fed (Federal Reserve, banco central norte-americano) não tem razões para promover aumento mais agressivo das taxas de juros do que o que está atualmente precificado", disse o analista da gestora CIBC, Avery Shenfeld, em nota.

Os preços ao consumidor dos Estados Unidos desaceleraram em fevereiro em meio à queda nos preços da gasolina e à moderação no custo dos aluguéis, na mais recente indicação de que uma aceleração da inflação provavelmente será apenas gradual.

Excluindo os componentes voláteis de energia e alimentos, o índice ganhou 0,2 por cento depois de acelerar 0,3 por cento em janeiro. Na base anual, o avanço do chamado núcleo de preços ao consumidor repetiu a taxa de 1,8 por cento de fevereiro.

Logo após a divulgação dos dados, os juros futuros norte-americanos precificaram 26 por cento de chances de o Fed elevar os juros quatro vezes neste ano, sobre 28 por cento antes dos números, segundo dados da Reuters.

O Fed vem indicando que elevará os juros três vezes neste ano de forma gradual e, um movimento mais forte do que o esperado, aumentaria o potencial de atrair para os Estados Unidos recursos aplicados hoje em outros mercados financeiros, como o brasileiro.

O Banco Central brasileiro vendeu nesta sessão toda a oferta de 14 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de abril. Dessa forma, já rolou 1,4 bilhão de dólares do total de 9,029 bilhões de dólares.

Se mantiver esse volume e vendê-lo integralmente, o BC rolará o valor total dos swaps que vencem no próximo mês.

Claudia Violante
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
20/06/18 - Dólar sobe 1% e se reaproxima de R$3,80, com correção e à espera de BC
  - William Waack analisa propostas de presidenciáveis para os preços dos combustíveis
  - Safra mundial 2018/19 de soja deve ter alta de 6%
  - Soja e milho acumulam prejuízo de R$ 10 bi em 20 dias de tabela do frete, diz CNA
  - Entrada de dólares supera saída em US$ 23,574 bi no ano até 15 de junho, diz BC
  - Irã sinaliza que pode concordar com modesta alta na produção de petróleo da Opep
  - Soja: Preços voltam a recuar na Bolsa de Chicago nesta 4ª feira, mas ainda busca manter fôlego
  - Dólar cai com ajuda externa, de olho em corte de juro pré-copom e oferta de swap
19/06/18 - Dólar se acomoda e tem leve alta ante real, em dia sem ação extraordinária do BC
  - Dólar sobe cerca de 1% ante real com aversão ao risco global diante de temores comerciais
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Dólar fecha em alta ante real com exterior e fluxo de saída
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/