Sexta-feira, 20 de abril de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Países fecham acordo para reduzir em 50% emissões da navegação até 2050  

16/04/2018 - A Organização Marítima Internacional (IMO) adotou, nesta sexta-feira, 13, em Londres, uma estratégia inicial para reduzir as emissões de gás carbônico da navegação internacional em pelo menos 50% até 2050, em relação aos níveis de 2008.

É o primeiro acordo que visa a controlar a poluição climática do setor que, sozinho, responde por cerca de 2% das emissões globais de gases de efeito estufa, responsáveis pelo aquecimento do planeta. Se fosse um país, a navegação seria o sexto maior emissor. Isso significa que o setor, já nos próximos anos, de começar a desenvolver maneiras de funcionar com combustíveis renováveis e buscar novas tecnologias.

Tanto o setor quanto a aviação internacional ficaram de fora do Acordo de Paris, estabelecido em 2015 e que define os esforços dos países para conter o aquecimento global a menos de 2°C até o final do século, com tentativas de ficar em 1,5°C. Mas sem os dois setores é impossível fechar a conta.

O novo acordo, fechado após duas semanas de reuniões dos 170 países-membros da IMO em Londres, define também metas de redução da intensidade de carbono, ou seja, quanto é emitido pelos navios em relação à distância percorrida com carga útil. A proposta, que foi defendida pelo Brasil, é reduzir as emissões por carga útil transportada em 40% até 2030, almejando 70% até 2050, em relação a 2008.

O País - assim como a Argentina, mas também os Estados Unidos e a Arábia Saudita - se posicionou o tempo todo contrário à meta de redução absoluta de 50% por entender que poderia levar a aumentos no custo do frete marítimo. De acordo com o Itamaraty, que liderou a delegação brasileira, a meta poderia trazer "impactos negativos desproporcionais sobre países em desenvolvimento e geograficamente distantes dos seus mercados".

O posicionamento, porém, acabou vencido em plenária. E foi um meio termo considerado possível, já que os países-ilha do Pacífico e a União Europeia defendiam que a meta global de redução já fosse de 70% a 100% até 2050. Havia uma expectativa de que fosse anunciado no evento um plano para zerar a dependência por petróleo até o começo do século, o que não ocorreu.

Organizações da sociedade civil que acompanham as discussões também defendiam uma meta mais ambiciosa de descarbonização total até meados do século, mas avaliaram que é um passo - um primeiro passo - importante para que o Acordo de Paris possa ser cumprido.

"A decisão de hoje manda um forte sinal para a indústria da navegação e para os fornecedores de combustíveis de que eles precisam ampliar os investimentos em novas tecnologias e colocá-las no mercado, incluindo combustíveis alternativos e novos sistemas de propulsão", afirmou Mark Lutes, conselheiro-sênior de política climática global do WWF, em comunicado à imprensa.

13/04/18
Giovana Girardi

Fonte: O Estado de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
19/04/18 - Dólar passa por correção e sobe ante real
  - Etanol poderá ser usado no híbrido e no elétrico fuel cell
  - Senado media mudanças na cota de exportação de açúcar para os EUA
  - A política de preços do hidratado destruindo valor na cana
  - Jogo bruto no comércio internacional
18/04/18 - STF decide que Santos pode cobrar IPTU de terminais portuários
  - CNPEM busca novo diretor
  - Messages from Brussels: more biofuels for transport are badly needed and can be produced sustainably
11/04/18 - Porto de Paranaguá tem o melhor março da história com 4,9 milhões de toneladas movimentadas
06/04/18 - Com 17 vezes menos rodovias que os EUA, logística "empaca" a safra brasileira
  - Antaq aprova editais de concessão de 3 terminais portuários
29/03/18 - Rumo e Caramuru têm contrato prorrogado até 2050 no porto de Santos
27/03/18 - Da Mata celebra o Dia da Água
  - Indústria do etanol diz ser contra projeto que coloca cana na Amazônia
  - Por um crescimento mais sustentável
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Países fecham acordo para reduzir em 50% emissões da navegação até 2050
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/