Sábado, 26 de maio de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Demanda da China vacila e soja do Brasil deve se beneficiar menos de guerra comercial  

11/05/2018 - Uma queda inesperada nas compras chinesas de soja do Brasil no curto prazo está limitando as exportações da oleaginosa do país sul-americano, que tem se beneficiado da tensão comercial entre Washington e Pequim.

Importadores chineses correram para adquirir soja brasileira depois que Pequim propôs em 4 de abril uma tarifa de 25 por cento sobre as cargas norte-americanas, mas as compras de curto prazo "secaram" desde a semana passada, já que o maior importador mundial enfrenta demanda fraca em um momento de oferta local abundante, disseram fontes.

"Toda a compra de pânico que vimos no início de abril foi reduzida", disse um operador de uma trading internacional que administra instalações de processamento de oleaginosas na China.

"A demanda por farelo de soja é muito lenta, já que os produtores de suínos estão com prejuízos. Muito poucos acordos foram assinados desde a semana passada para a soja brasileira relacionados a remessas próximas", acrescentou.

As fontes recusaram-se a ser identificadas, pois não estavam autorizadas a falar com a mídia.

A China importa mais de 60 por cento da soja comercializada em todo o mundo, esmagando-a para fabricar óleo de cozinha e rações para animais. Já o Brasil é o maior exportador global da oleaginosa.

O prêmio para a soja brasileira, incluindo o frete e cotado na China, caiu para 94 dólares por tonelada ante o contrato para julho na Bolsa de Chicago, após atingir 160 dólares em abril.

O prêmio varia tipicamente de 50 a 60 dólares por tonelada nesta época do ano.

No mês passado, Pequim ameaçou impor uma tarifa adicional de 25 por cento sobre as importações de soja e sobre uma série de outros produtos dos Estados Unidos em retaliação às ações comerciais tomadas pelo presidente Donald Trump.

As exportações brasileiras também foram atingidas, à medida que os compradores europeus e outros asiáticos se voltaram para o fornecimento mais barato dos EUA.

No entanto, a queda na demanda chinesa no curto prazo por grãos brasileiros é vista apenas como temporária, já que os preços das cargas do país sul-americano devem cair, uma vez que a safra recorde deste ano está praticamente toda colhida.

O Brasil está colhendo uma safra de mais de 119 milhões de toneladas, aumentando as expectativas de exportações mais fortes, com a consultoria Céleres estimando que as vendas ao exterior para um recorde de 72 milhões de toneladas.

Mas os compradores chineses não se afastaram dos embarques de junho a julho, com a demanda por outros meses também robusta. Importadores encomendaram 20 cargas na semana passada para embarque em agosto, disseram operadores.


Receios

A China reduzirá suas importações de soja pela primeira vez em 15 anos em 2018/19, previu o Ministério da Agricultura na quinta-feira, com a demanda por ração enfraquecida.

Os preços do suíno na China registraram um dos declínios mais acentuados de todos os tempos no primeiro trimestre e estão abaixo do custo médio de produção.

"A maioria das unidades de soja na China está sobrecarregada com farelo e óleo", disse um operador de Pequim.

"O principal motivo é o lado da demanda. O preço do suíno não é bom, de modo que os frigoríficos gostam de pegar coisas baratas, da mão para a boca."

As importações de soja pela China em abril caíram para 6,9 milhões de toneladas, uma queda de 13,7 por cento em relação ao ano anterior.

Naveen Thukral e Dominique Patton
Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
25/05/18 - Com ação mais firme do BC, dólar acumula queda ante o real na semana
  - Conab prepara novo leilão de frete para levar mais milho para Norte e Nordeste
  - Petrobras reduzi preço da gasolina em 0,32%; diesel segue em R$ 2,1016
  - Paralisação atrasa exportação de soja por falta de estoque nos portos, diz Abiove
  - A crise dos combustíveis
  - Safra mundial de soja deve registrar alta de 6% no ciclo 2018/19
  - USDA anuncia venda de 312 mil t de soja da safra nova para a China
  - Milho: Na CBOT, mercado mantém movimento positivo e segue com leves altas nesta 6ª feira
  - Dólar tem leves oscilações ante real, com cena externa e BC
  - Soja: Abiove mantém previsão de safra em 2018/19, mas eleva estimativa de exportação do Brasil
  - Abiove eleva previsão de exportação de soja do Brasil apesar de protestos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Demanda da China vacila e soja do Brasil deve se beneficiar menos de guerra comercial
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Apoio Cultural
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário/Workshop
• Apoio Cultural
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/