Segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Exportação de soja do Brasil tem queda semanal de 16%, após pico do escoamento  

16/05/2018 - A exportação de soja do Brasil somou 2,43 milhões de toneladas na semana de 6 a 12 de maio, queda de 16,2 por cento na comparação com as 2,9 milhões de toneladas da semana anterior, quando o país havia embarcado o maior volume semanal do ano, de acordo com dados da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) divulgados nesta terça-feira.

Na segunda semana de maio do ano passado (7 a 13 de maio), as exportações haviam atingido 2,5 milhões de toneladas, volume que tinha sido o quarto maior semanal de 2017, segundo a Anec.

Para a associação, a queda ocorreu após um período de pico de embarques, que ainda seguirão robustos diante do escoamento de uma safra que atingiu um recorde de 117 milhões de toneladas, segundo dados do governo.

"A tendência é de que os volumes de agora em diante permaneçam ligeiramente acima da média de anos anteriores, mas numa curva decrescente devido ao término do pico de safra, entre março e maio", disse o assistente-executivo da Anec, Lucas Eduardo Trindade de Brito.

Ele lembrou que os resultados das exportações do Brasil nas cinco semanas anteriores foram melhores que os registrados na semana passada, com o impulso da grande safra e também como reflexo das disputas comerciais entre a China e os Estados Unidos, incluindo a ameaça de uma taxa chinesa de 25 por cento sobre as exportações norte-americanas de soja.

A Anec não citou questões específicas relacionadas à demanda externa.

Na semana passada, a Reuters reportou uma queda inesperada nas compras da China, maior importador global de soja, o que limitaria as vendas do Brasil no curto prazo.

Uma menor demanda momentânea da China estaria ocorrendo como consequência de problemas enfrentados pela indústria de suínos (consumidores de ração), que estaria operando com prejuízos aos preços atuais no país asiático.

De outro lado, a soja dos Estados Unidos, competidor do Brasil no mercado global, ficou mais competitiva para o restante do mercado, atraindo compras de origens de fora da China, ressaltou o analista sênior de Agronegócios do Itaú BBA, Guilherme Bellotti.

"Com essa guerra comercial, impactou preços na bolsa de Chicago... se olhar sob ótica de outra origem, o grão dos Estados Unidos ficou bastante competitivo", disse ele, ponderando que isso não deve trazer problemas para o Brasil, que de qualquer forma não seria capaz de atender a toda a demanda chinesa, caso a taxação se confirme, hipótese que vê como improvável.

No acumulado deste ano, contudo, a exportação de soja do Brasil atingiu 33,87 milhões de toneladas, aumento de mais de 4 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado.

O volume no acumulado do ano representa menos da metade dos embarques totais recordes projetados pela Anec para 2018 (72 milhões de toneladas).

O dólar, que subiu pela terceira sessão seguida e chegou a encostar no patamar de 3,70 reais nesta terça-feira, foi citado pela Anec como um fator de alta nas exportações.

A moeda norte-americana subiu quase 1 por cento, fechando a 3,6608 reais na venda, renovando o maior patamar de fechamento desde 7 de abril de 2016.

15/05/18
Roberto Samora

Fonte: Reuters
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
14/12/18 - Brasil está pronto para eventual retirada de taxa chinesa à soja dos EUA, diz Maggi
  - Seis municípios concentravam 25% do PIB do Brasil em 2016
  - Juros passam a cair com desaceleração do dólar e leitura de Selic estável
  - Superávit da balança comercial em 2019 deve ser 38% maior que em 2018
  - Bolsas asiáticas fecham em baixa generalizada, após decepção com dados chineses
  - Chuvas indicam alívio para lavouras de soja ressecadas do Paraná
  - Soja volta à estabilidade em Chicago nesta 6ª feira, mas mantém foco na guerra comercial
  - Milho: USDA reporta venda de 125 mil t para o Japão
  - USDA informa novas vendas de soja para China e demais destinos
  - Grãos/Argentina: plantio de soja atinge 68,8% da área, diz bolsa de cereais de Buenos Aires
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Exportação de soja do Brasil tem queda semanal de 16%, após pico do escoamento
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/