Terça-feira, 20 de novembro de 2018
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
Superdúvidas na economia de Bolsonaro  

01/11/2018 - O presidente foi eleito faz quatro dias. Difícil, claro, que se esclarecessem dúvidas sobre o que Jair Bolsonaro fará na economia, muitas, dado o mistério que foi sua campanha. Mas não convinha criar mais confusão. Por exemplo.


Dúvida 1.

Dias antes de ser eleito, Bolsonaro falou de metas para o dólar. Nesta semana, Onyx Lorenzoni, ministro indicado para Casa Civil, disse algo (vago assim mesmo) sobre taxa de câmbio. Nesta semana, a equipe do programa econômico falou de vender reservas internacionais para abater dívida pública.

O superministro indicado para a Economia, Paulo Guedes, disse que poderia vender em tese até US$ 100 bilhões dos US$ 381 bilhões das reservas a fim de controlar uma desvalorização crítica do real (dólar indo a R$ 5).

Há fumaça nessa história de câmbio. Obviamente tratou-se do assunto no comando bolsonarista, mas, além de Guedes, ninguém entende do que se trata. Há fogo?


Dúvida 2.

Guedes fala, pois, com desenvoltura do que fazer de taxa de câmbio e de reservas. Atualmente, a política cambial está, na prática, a cargo do Banco Central. Vai sair de lá, do BC? Vai haver bola dividida ou compartilhada entre BC e superministério da Economia?


Dúvida 3.

Por falar em Banco Central, parece ser intenção do governo Bolsonaro mandar ao Congresso um projeto de independência ou de autonomia do BC, não se sabe qual das alternativas ou se há de fato diferença entre os termos.

O BC seria autônomo ou independente até que limite? Com certeza em política monetária, na definição da meta de taxa de juros etc.; decerto na política de crédito e na regulação e na fiscalização do sistema financeiro.

Mas como fica, por exemplo, a definição da meta de inflação, assunto no qual o BC tem voz? Sim, voz no CMN (Conselho Monetário Nacional), do qual fazem parte o presidente do BC e os ministros da Fazenda e do Planejamento, que serão Guedes. Um BC independente pode ou não definir a meta de inflação. Como vai ser?


Dúvida 4.

Por falar em Conselho Monetário Nacional, o CMN formula a política de moeda e crédito, decide normas para o sistema financeiro e um mundo de assuntos correlatos.

Com um Banco Central independente, como fica o CMN? Acaba? Permanece? Com quais atribuições, as quais sempre limitarão, para o bem ou para o mal, a independência do BC? Com qual composição? Um representante do BC e outro do superministério da Economia? Quem decide eventual conflito?

Sim, já se pensaram respostas para essas questões, mas, antes de haver um superministro da economia, que tem opiniões fortes sobre câmbio, por exemplo, embora, por formação, seja adepto de BCs independentes.


Dúvida 5.

Durante a campanha, Bolsonaro e Lorenzoni haviam criticado a reforma da Previdência de Michel Temer. Logo depois da eleição, Bolsonaro disse que procuraria aprovar alguma coisa da reforma de Temer, já.
Lorenzoni desgostou da ideia em público. Guedes defendeu a ideia em público.

O Congresso moribundo e líderes que permanecerão disseram que a reforma não passa, por variados motivos. Depois do primeiro encontro do governo de transição, Guedes e Lorenzoni moderaram as opiniões e puseram panos quentes na discórdia.

Que fim levou a ideia de aprovar a reforma Temer? Morreu para este ano? O projeto Temer será envernizado e apresentado logo no início do ano que vem, enquanto Guedes prepara (ou não) a reinvenção das aposentadorias do país (criando o sistema de capitalização)?

Vinicius Torres Freire
Fonte: Folha de S. Paulo
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
20/11/18 - Paulo Guedes confirma que novo governo terá Secretaria de Privatizações
  - Brasil cai 6 posições e flerta com lanterna em ranking de talentos global
  - ´Quem ferrou o Brasil foram os economistas´, diz Bolsonaro
  - Produtividade industrial se recupera
  - Equipe econômica de Bolsonaro se prepara para participar de fórum em Davos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Superdúvidas na economia de Bolsonaro
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Agenda
• Aulas/Palestras
• Comitês de Gestão
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados
Desenvolvimento:
/