Agricultura, o berço da humanidade  

26/07/2017 - O Dia do Agricultor (28 de julho) reforça a certeza da nobreza, versatilidade e força desta atividade diretamente relacionada com o próprio desenvolvimento da humanidade, há pelo menos 12 mil anos. O início das atividades agrícolas separa o período neolítico da idade da pedra lascada. Antes nômade, o Homem teve condições de criar raízes graças à agricultura, à fertilidade da terra que garante o alimento para sua existência todos os dias.

Esta é a missão nobre dos nossos agricultores. São eles os responsáveis pelo nosso tradicionalíssimo arroz com feijão cotidiano e trivial, mas também pelo delicioso sabor da quebra de recordes de produção e exportação, de valorização de commodities em bolsas de valores mundiais.

É o trabalho homem do campo que fez com o Brasil deixasse de ser dependente da importação de alimentos até a primeira metade do século passado. Hoje somos os provedores do alimento nas mesas de mais de uma centena de países, campeões de comercialização de itens básicos da dieta humana como proteína animal, açúcar e suco de laranja.

Esta vocação para a agricultura é justamente o nosso diferencial no mundo. No País onde já se disse que "se plantando tudo dá", abundam os recursos hídricos, o solo fértil e a luz solar que transforma sementes em renda e esperança para milhares de famílias na zona rural.

Um desenvolvimento econômico e social que é a chave da retomada do crescimento de nossa economia. É um setor fundamental para atenuar as sucessivas quedas do produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e os déficits da nossa Balança Comercial.

Tem a pujança e o comprometimento necessários para encabeçar investimentos em infraestrutura, essenciais para diminuir os altos custos de produção e escoamento e aumentar ainda mais nossa competitividade no mercado mundial. É único setor da economia e da sociedade que cresce mesmo em tempos incertos, delicados e imprevisíveis.

Não apenas o nosso esteio, a agricultura é a nossa missão, e temos cumprido com excelência, inovação, apoio ao pequeno produtor, transferência de tecnologia e respeito ao meio ambiente. Temos a sorte de sermos no Governo do Estado de São Paulo liderados por um governador entusiasta da agropecuária.

Geraldo Alckmin é conhecedor da importância do setor para a economia, a sociedade e a natureza. É por isso que, mesmo em tempos de recessão continua por meio de nossa Secretaria de Agricultura e Abastecimento investindo em pesquisa, inovação, agregação de valor, geração de renda e sustentabilidade para nosso agricultor.

No turbulento ano de 2016, os institutos de pesquisa da nossa Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) receberam investimentos que ultrapassaram R$ 10 milhões. Dinheiro que se multiplica ao retornar à sociedade: cada R$ 1 investido garante retorno de R$ 11,40. Neste ano, o governador já liberou mais R$ 22 milhões para nossos institutos.

Com o Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável - Microbacias II - Acesso ao Mercado, desde o início, em 2011, já foram beneficiadas 263 organizações com 339 projetos, reformadas 38 Casas da Agricultura (CAs), sendo investidos mais de R$ 5 milhões e, para este ano, há quase R$ 10 milhões reservados para serem usados nas reformas de mais 39 CAs e duas Regionais da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati).

Também foram beneficiados 57 municípios com adequações em trechos de estradas rurais, totalizando a recuperação de 789,21 km, com valor total de R$ 25 milhões. E novos convênios foram assinados para beneficiar 46 municípios, totalizando 396,3 km, com valor total das obras de quase R$ 26 milhões.

São valores investidos na certeza de que serão bem aplicados porque sabemos que há muito tempo o agricultor não é amador, arcaico ou desconectado do mundo atual. Empreende, tem iniciativa e é capaz de sobreviver a diferentes desafios.

O homem do campo não é mais a figura folclórica do Jeca Tatu. Hoje ele quebra recordes de produtividade ao utilizar tecnologias para prever com mais detalhes as condições climáticas, mapear pragas e doenças, distribuir com eficácia sementes e adubos e mais uma infinidade de inovações que a modernidade trouxe e continua trazendo.

Parabéns aos nossos agricultores!

Arnaldo Jardim
Secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Imprimir