UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Fórum de Articulistas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Os desafios da cana...  

21/07/2016 - O Brasil passa por um momento difícil, economia em frangalhos, total falta de credibilidade das instituições públicas, desajuste fiscal e instabilidade política que há muito não presenciávamos.

Quem liderará o processo de reversão deste quadro? Qual será o caminho para a retomada dos empregos e do desenvolvimento para o Brasil nas próximas décadas?

Talvez não seja fácil responder a qualquer pergunta relacionada ao ambiente político e a recuperação da economia brasileira. Mas podemos afirmar seguramente, que se existem alternativas, uma delas é a cadeia do agronegócio.

Após a recuperação da taxa de cambio, o Brasil recupera sua competitividade internacional. Estudos indicam que em 2050 teremos cerca de 9 bilhões de habitantes no planeta, com consumo per capita superior ao atual.

Este crescimento de demanda será concentrado na China e Índia, locais onde a capacidade produtiva já está muita próxima ao potencial de produção, com problemas sérios de sustentabilidade. Também teremos forte expansão de demanda na África, onde apesar de existir terras agricultáveis disponíveis, os problemas se concentram na estrutura política e cultura popular, com muitas dificuldades para organizar processos produtivos competitivos.

Neste cenário, o Brasil é visto como o maior responsável para atender as demandas crescentes de alimento nas próximas três décadas. Se não temos as melhores condições de escoamento da produção, tanto internas quanto em relação a portos, temos uma boa malha rodoviária, ineficiente e cara, mas capaz de possibilitar acesso a todo interior do País.

Devemos unir todos os esforços das cadeias produtivas, e juntos organizarmos uma demanda de infraestrutura que possibilite ao Brasil produzir e escoar sua produção, alimentando o mundo com alimento saudável e sustentável. Devemos aproveitar a oportunidade para agregar valor na cadeia, produzindo e processando proteína animal.

Devemos ainda estruturar um programa de marketing e adequação ao mercado para os produtos brasileiros, líderes de exportações no mundo, como o café, açúcar, suco de laranja, carnes, dentre outros.

Hoje o Brasil é responsável por cerca de 50% do açúcar comercializado no mundo. Em 2050, provavelmente seremos responsáveis por 60% deste mercado. Temos um compromisso assumido na COP21 de limparmos ainda mais nossa matriz energética, onde os biocombustíveis terão um papel preponderante.

O etanol é a grande esperança, pois não depende de subsídios e tem a tecnologia bastante avançada. Tanto em relação ao açúcar como o etanol, o Brasil tem espaço para agregar tecnologia e promover crescimento de produtividade, mas também será necessário expandir a produção em regiões mais novas.

Hoje nos deparamos com boa parte das indústrias do setor sem expectativa em relação ao futuro, pois o endividamento impossibilita a geração de caixa para pagar sequer o serviço da dívida.

Após a reestruturação desta dívida, é possível que algumas sejam adquiridas por outros grupos e se mantenham em operação, porém outras, possivelmente no futuro próximo paralisarão suas atividades.

Este quadro dificulta muito a realização de investimento e crescimento da capacidade de produção do setor, que foi solapado nos últimos 8 anos. Precisaremos imediatamente de uma política de restruturação financeira do setor, envolvendo governos e bancos, não para privilegiar os empresários, mas sim para viabilizar a continuidade da operação das unidades existentes, mesmo que adquiridas por outro controlador.

Será necessário um planejamento de desenvolvimento tecnológico e áreas de expansão, com linhas de crédito adequadas, tanto para pesquisa, investimento no campo e investimento nas indústrias.

Precisamos fortalecer a sustentabilidade de setor, possibilitando a todos o acesso às melhores práticas de produção, otimizando o aproveitamento no campo e na indústria, com máximo aproveitamento da biomassa produzida, tanto para produção de açúcar, etanol 1G ou 2G ou bioeletricidade.

Assim como o etanol contribuiu para redução do custo de produção do açúcar a partir da década de 1980, o aproveitamento do bagaço, tanto para etanol quanto para bioeletricidade, também será responsável por significativa melhoria da eficiência econômica e energética do setor.

A recuperação do setor, por sua vez, somente será possível com a recuperação da credibilidade das políticas públicas e do Governo. Assim poderão ser criados programas adequados para investimentos e crescimento, com linhas de crédito de longo prazo e custo adequado.

Acreditamos que o mercado deva funcionar livremente, sem intervenção do Governo, que deve apenas criar mecanismo permanente de ajuste tributário entre os combustíveis, reconhecendo economicamente as externalidades positivas dos combustíveis limpos, frente aos derivados do petróleo.

Temos um mercado em expansão, precisamos agora equilibrar a produção e viabilizar a expansão da capacidade. Para isso devemos priorizar o desenvolvimento tecnológico, desde a produção do campo com variedades adequadas a mecanização, sistematização da produção, equipamentos mais adequados para colheita da cana com qualidade, processamento da biomassa na indústria, otimizando o potencial energético da cana.

Com crescimento de produtividade necessitaremos de menos áreas e seremos mais competitivos, garantindo a sustentabilidade econômica do setor e contribuindo para melhor sustentabilidade do planeta.

Se cada um fizer sua parte, rapidamente colocaremos o Brasil em posição de destaque e respeito internacional.

Salve a Cana!

Salve o Agronegócio!

Salve os Brasileiros!

Salve o Brasil!

Celso Torquato Junqueira Franco
Presidente da UDOP
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
14/10/19 - Açúcar: contratos futuros esboçam alta em NY e Londres
  - Ibovespa começa sessão com cautela sobre negociações EUA-China; Vale pesa
  - Um aniversário sustentável
  - Etanol: hidratado sobe 1,80% e anidro valoriza 1,27% na semana
  - Etanol: hidratado sobe 1,80% e anidro aumenta 1,27% nas usinas
  - ANP: etanol sobe em 14 estados; preço médio avança 0,66% no país
  - Importações de soja da China caem em setembro com menor demanda por ração animal
  - Atividade econômica fica praticamente estagnada em agosto, aponta BC
  - Expectativas de inflação recuam e Top-5 vê Selic a 4,50% em 2019, mostra pesquisa do BC
  - Milho: Produtor continua retraído e preço, em alta
  - Soja: Atividades de semeio avançam; vendedor está retraído
  - Soja/MT: plantio atinge 16,35% da área previta e segue com atraso, diz Imea
11/10/19 - FCStone eleva projeção de moagem de cana no Nordeste; vê maior produção de açúcar
  - Cana: INTL FCStone prevê moagem de 51,1 mi de t no norte-nordeste do Brasil em 2019/20
  - Etanol: estoques totais do país recuam até 30 de setembro sobre igual período de 2018
  - Preços do açúcar seguem em baixa em Nova York e Londres
  - Clima segue pressionando e milho dispara em Chicago
  - Plantio da soja na Bahia deve ganhar força após dia 25 de outubro e produtores se preocupam com a
  ferrugem asiática
10/10/19 - IBGE: safra 2019 será de 240,7 mi de toneladas (+6,3% ante 2018)
  - IBGE: safra de soja em 2019 será 4,3% menor que a de 2018
  - IBGE: área a ser colhida em 2019 totaliza 63,1 milhões de hectares em 2019, alta de 3,5% ante 2018
  - Preços do açúcar demerara seguem em baixa no mercado externo
09/10/19 - Etanol: produção por tonelada de cana bate recorde histórico
  - Automação no campo eleva produtividade
  - Paraná para safra de cana em novembro, com 60,5% de etanol; 5 usinas cessam moagem este mês
  - Produção de açúcar e etanol dispara na 2ª quinzena de setembro
07/10/19 - Soja/AgRural: 3,1% da área no Brasil está semeada na safra 2019/20, início mais lento desde 2013/14
  - O combustível que mudou nossa história
  - Trump anuncia plano para impulsionar consumo de biocombustíveis
04/10/19 - Plano Safra 2019/20: Mais de R$ 59 bi já foram aplicados até setembro
  - Equador declara estado de exceção por protestos contra corte de subsídios a combustíveis
25/09/19 - Usina Rio Amambaí Agroenergia realiza o 3º Dia de Campo
24/09/19 - Petrobras interrompe produção em plataforma após amarra romper na Bacia de Campos
23/09/19 - Governo irá promover o programa de biocombustíveis em NY
20/09/19 - Assembleia da UDOP aprova a inclusão de duas novas associadas ao quadro da entidade
19/09/19 - O preço dos combustíveis no Brasil na comparação internacional
16/09/19 - Melhores tecnologias do setor estarão no 2º Seminário UDOP de Inovações; inscrições abertas
13/09/19 - Ônibus movidos a biogás e biodiesel já circulam em cidade norueguesa
05/09/19 - Consumo de combustíveis cresce 3,5% de janeiro a julho e etanol bate novo recorde
04/09/19 - UDOP abre prazo de preenchimento de sua Pesquisa de Remuneração, referência no setor
26/08/19 - Presidente executivo da UDOP é eleito na categoria Quem é Quem no Setor
19/08/19 - Etanol americano pode adiar (de novo) triunfo do biocombustível brasileiro
  - Preços dos combustíveis sobem nos postos na semana, diz ANP
02/08/19 - Chuva e vento nos canaviais de São Paulo
10/07/19 - Geada afeta canaviais na região de Ribeirão Preto, mas reflexos só devem ser percebidos em dez dias
17/06/19 - Irrigação localizada eleva produtividade média do canavial
23/04/19 - Modernidade na prática
21/11/17 - Diferença entre o imposto sobre carbono e o RenovaBio
05/04/17 - O berço do negócio sucroenergético
29/03/17 - Planejamento é a chave deste cenário
27/03/17 - Planejamento estratégico das organizações e associações
23/03/17 - A estrutura do setor precisa ser repensada
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Os desafios da cana...
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: