Quarta-feira, 20 de maro de 2019
:
EDITORIAS
Agncia UDOP | Acar | Biodiesel | Cana-de-Acar | Combustveis Fsseis | Diversas | Economia
Energia | Espao Datagro | Etanol | Frum de Articulistas | Opinio | TV UDOP | ltimas Notcias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
"Imprevisibilidade climtica veio para ficar", diz diretor da FAO  

03/08/2018 - Muita chuva num ano, seca no prximo, temperaturas congelantes no seguinte: variabilidade das condies climticas como novo normal deve afetar agricultura e pode provocar escassez de alimentos, afirma diretor da FAO, Alex Jones.

A Organizao das Naes para a Agricultura e Alimentao (FAO) estima que 830 milhes de pessoas j sofram atualmente de insegurana alimentar e que as mudanas climticas podem agravar o problema nos prximos anos, com secas provocando escassez de alimentos e fome.

Em entrevista DW, Alex Jones, diretor da Diviso de Clima e Meio Ambiente da FAO, afirma que h pode haver tambm perdas de nutrientes nos alimentos e que a variabilidade do clima ser uma nova normalidade com a qual os agricultores tero de lidar - um problema particularmente grande para pases em desenvolvimento.

"Se tivssemos uma tendncia constante poderamos lidar com isso. O problema a variabilidade, com eventos climticos extremos. A imprevisibilidade o elemento mais difcil, e parece que ela veio para ficar", afirma.

DW: Estamos enfrentando uma onda de calor global que vem afetando agricultores. Como eles esto lidando com isso?

Alex Jones: muito difcil para os agricultores lidar com isso no meio de um ciclo [agrcola], especialmente se eles estiverem lidando com uma cultura de ciclo longo, como cereais. Se plantarem trigo ou milho, depois que as sementes esto no solo, no h absolutamente nada que se possa fazer, exceto talvez irrigar um pouco mais.

Trata-se antes de obter informaes melhores, plantar sementes mais resistentes. E especialmente dividir o risco, no se concentrar exclusivamente numa nica cultura, mas no policultura. Aumentando a biodiversidade no campo, de forma que existam diferentes plantios, voc se protege contra o fracasso total.

A seca poderia causar escassez de alimentos e fome nos prximos anos ou dcadas? Quais regies correm mais risco?

Com certeza, claro que pode causar fome. A estimativa da FAO que 830 milhes de pessoas sofram atualmente de insegurana alimentar. Elas no tm comida suficiente para comer.

Sabemos tambm que produzimos alimentos mais do que suficientes no mundo para alimentar a todos. Mas h problemas de distribuio, e cerca de um tero de toda a comida se perde na fase de transformao. Portanto, h muitas lacunas a serem preenchidas aqui; mas obviamente, diminuir a produo pode ser um fator importante.

Tambm estamos olhando para a questo da perda de nutrientes. Mudanas climticas, mudanas de CO2 no ar esto tendo um impacto no contedo nutricional dos alimentos. Alguns cereais possuem cerca de 10% menos protena e tm menos minerais e menos vitaminas. Portanto, no apenas uma questo de quantidade, mas tambm da qualidade desse alimento.


A seca vai se tornar uma nova normalidade para os agricultores?

Infelizmente, a variabilidade [climtica] vai se tornar o novo normal. Muita chuva num ano, seca no prximo, temperaturas congelantes no seguinte e, na sequncia, um ano muito bom. Esse o maior problema. Se tivssemos uma tendncia constante ou soubssemos que a temperatura fosse subir 2C e ficaria por a, poderamos lidar com isso, 2C administrvel.

O problema a variabilidade, com eventos climticos extremos, como ciclones, furaces, chuvas, queda de granizo e altas temperaturas em agosto no norte da Europa. A imprevisibilidade o elemento mais difcil, e parece que ela veio para ficar.


As solues esto ao nosso alcance. Mas por que elas no esto sendo aproveitadas?

Bem, elas so caras, e os agricultores j esto muito estressados com a dificuldade de obter algum lucro. E claro que num ano como este, em que eles provavelmente vo perder dinheiro devido seca, se viermos e dissermos: "Bem, ns queremos que voc invista mais dinheiro em equipamentos de mobilizao reduzida ou nula dos solos", claro que eles vo dizer: "Voc est louco, eu j estou endividado."

Trata-se de encontrar vontade coletiva e garantir que todos estejam em igualdade de condies, pois, claro, se os fazendeiros na Alemanha adotarem isso, mas seus vizinhos de outro pas no o fizerem, eles correro risco em termos de competitividade. Todos ns precisamos concordar com certos padres para que haja condies equitativas e possamos fazer esses investimentos.

Agricultores em algumas regies da Alemanha esto enfrentando at 25% de perda de safra. A maioria consegue recorrer a seguros para ajudar a cobrir esses prejuzos. Mas como o seguro funciona quando as perdas ocorrem ano aps ano, como pode comear a acontecer?

Os prmios de seguro subiro. Este o modo operacional bsico de uma seguradora: quanto maior o risco, maiores os prmios. Ento, em algum momento, a questo vai ser: os agricultores podero pagar um seguro? Ser que valer a pena se os prmios forem to altos? Essa uma preocupao importante.

Poderemos ver um sistema de seguros falhar se os agricultores no conseguirem lidar com o problema. E, claro, estamos muito preocupados com todos os ainda incipientes planos de seguro de colheitas que estamos tentando ajudar a formar nos pases em desenvolvimento, porque eles precisam muito disso.


O Acordo de Paris incluiu o setor agrcola?

Infelizmente no. O Acordo de Paris no mencionou a agricultura. No entanto, desde ento, tem havido um enorme progresso. Houve uma grande discusso na COP22 [22 Conferncia da ONU sobre o Clima], chamada Parceria de Marrakesh, que concordou em criar um componente agrcola.

E na COP23, no ano passado, em Bonn, acordou-se o chamado Trabalho Conjunto Koronivia na Agricultura, que um acordo em que todas as partes da COP trabalharo juntas por dois anos em cinco reas de foco agrcola, e chegaro a padres a ser includos no Acordo de Paris sobre agricultura.

Ento, h coisas em andamento, mas o mundo s precisa se unir para amalgam-las?

Precisamos aceler-las, porque no temos duas dcadas para trabalhar nisso. Ns realmente precisamos obter resultados dentro de alguns anos. Caso contrrio, ser tarde demais.

01/08/18
Fonte: Deutsche Welle
Texto extrado do portal Siamig
Notcias de outros veculos so oferecidas como mera prestao de servio
e no refletem necessariamente a viso da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notcias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notcias Relacionadas
19/03/19 - Produo de soja deve recuar 5% em 2019
  - Custo da safra de milho no Mato Grosso aumenta 0,99% em fevereiro
  - Soja: Abiove reduz estimativa de produo no Brasil em 2018/19 para 116,9 mi de t
  - Soja: Abiove mantm esimativas de produo de farelo e leo em 2019
  - Soja: Abiove eleva previso de receita com exportao do complexo para US$ 32,82 bi
13/03/19 - Produtor no Sul do pas est preocupado
  - Clima favorvel deve aumentar oferta de cana em 2019/20
11/03/19 - Sistema TEMPOCAMPO divulga boletim de fevereiro
  - Confira a previso do tempo para esta segunda-feira (11) para todas as regies do Brasil
08/03/19 - Bolsa de Rosario: chuvas trazem preocupao para safra de soja na Zona Ncleo da Argentina
Para enviar a notcia, basta preencher o formulrio abaixo.
Todos os campos so de preenchimento obrigatrio!
 
"Imprevisibilidade climtica veio para ficar", diz diretor da FAO
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatrio:
E-mail destinatrio:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentrio:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa Histria
• Misso, Viso e Objetivos
• Trofu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comits de Gesto
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Comits de Gesto
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Frum de Implementao Tecnolgica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminrio UDOP de Inovao
Imprensa

• Agncia UDOP de Notcias
• ltimas Notcias
• Frum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mdias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produo Brasileira
Servios

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendrio de Eventos
• Guia de Empresas
• ndice Pluviomtrico
• Pesquisas UDOP
• Previso do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrogrficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/