Quinta-feira, 23 de maio de 2019
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Economia Aumentar a letra    Diminuir a letra
China compra mais 926 mil t de soja nos EUA, mas Chicago não reage  

11/03/2019 - A China comprou mais 926 mil toneladas de soja dos Estados Unidos nesta segunda-feira (11), segundo um reporte feito pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). Este é o segundo anúncio oficial da instituição em menos de uma semana - outra venda foi reportada na última sexta (8), de 664 mil toneladas - e mostra que há ainda alguma boa vontade dos chineses em cumprir promessas noticiadas nas últimas semanas, como a de adquirir ao menos 10 milhões de toneladas da oleaginosa americana e a de, enfim, firmar um acordo com os EUA e botar fim na guerra comercial.

A notícia vem também para amenizar a da semana passada de que Donald Trump e Xi Jinping adiaram seu encontro em Mar-a-Lago, na Flórida, previsto para ocorrer entre 27 e 28 de março, onde poderiam assinar o acordo.
"Esse (a venda dos EUA) é um bom indicativo de que passos estão sendo dados em direção ao fim da guerra. A reconciliação está atrasada? Sim! Porém, já era de se esperar em se tratando de um assunto tão complexo", diz Matheus Pereira, analista de mercado da ARC Mercosul.

Enquanto isso, a situação de incerteza e a descrença do mercado causada pelo cansaço diante de informações que não se confirmam faz com que a reação à notícias como estas de compras pontuais da China não aconteça. Na Bolsa de Chicago, mesmo depois do anúncio, os futuros da soja permaneciam em baixa, com o maio operando abaixo de US$ 9,00 por bushel e o julho lutando para se manter neste patamar.

"A China ainda não cortou a tarifação da soja americana e isso ainda pesa. Os problemas estão nos detalhes", explica o consultor Ênio Fernandes, da Terra Agronegócios. "Se eles retirarem essa tarifa, como pediu Trump, qual será a contrapartida que irão receber?", completa o executivo, explicando que até que esta questão seja respondida, nada muda.

O contexto político se aprofunda cada vez mais, principalmente na relação entre o presidente Donald Trump e as relações com uma grande parte de seu eleitorado, composta pelos estados do Corn Belt.

"Os produtores ainda não estão fazendo pressão sobre Trump, mas no ano que vem temos eleições e ele já anunciou que irá buscar sua reeleição. Então, está com um problema político bastante sério", explica o consultor da Terra.

Não há grandes soluções no curto prazo, acredita Fernandes. Para ele, um acordo - caso saia efetivamente - ainda leva um tempo considerável, podendo acontecer somente em meados de maio ou junho. E é nesse período que o mercado pode voltar a encontrar alguma volatilidade novamente, começando a se focar na questão climática norte-americana para a nova safra.

Desde agosto, o contrato maio segue "congelado", ainda segundo o analista, no intervalo de US$ 8,80 a US$ 9,50 por bushel e é assim que deverá permanecer diante da falta de informações que possam mudar a direção das cotações. Até lá, Chicago permanece lateralizado, sem grandes mudanças.

"O próximo ´pico´ de volatilidade que o mercado teria, mas sem grandes alterações, poderia ser na divulgação dos números oficiais de plantio da nova safra dos EUA, no final deste mês, mas só uma séria questão climática poderia mudar o mercado", diz Ênio Fernandes.

Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
23/05/19 - Milho abre a quinta-feira em alta na Bolsa de Chicago e dezembro atinge maior patamar em um ano
  - Índice de blue-chips da China fecha na mínima de 3 meses pressionado por perdas em tecnologia
  - Soja opera estável nesta 5ª feira em Chicago ainda acompanhando o clima no Corn Belt
  - Egípcia ESIIC compra 50 mil t de açúcar bruto do Brasil, dizem operadores
22/05/19 - Soja: Preços retomam boas altas em Chicago com muitas chuvas previstas para os EUA
  - USDA informa nova venda de 131 mil t de soja para destinos não revelados
  - Colheita da 2a. safra de milho no PR chega a 3% da área
  - Soja: Preços no BR sobem mais de R$ 5 nos últimos 20 dias, mas ainda enfrentam obstáculos
  - Clima americano pressiona e cotações do milho voltam a subir em Chicago
  - Comercialização da safra 2018/19 de soja no PR alcança 52% da produção
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
China compra mais 926 mil t de soja nos EUA, mas Chicago não reage
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Fórum de Implementação Tecnológica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/