Quinta-feira, 23 de maio de 2019
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Comissão Europeia adota critérios mais rígidos para biocombustíveis  

15/03/2019 - A medida estabel que biocombustíveis que necessitem de extensa área de terras para produção serão caracterizados como de alto risco (Foto: Max Pixel/Creative Commons)
A Comissão Europeia passou a adotar critérios mais rígidos para combustíveis renováveis. As novas diretrizes foram divulgadas na quarta-feira pela entidade.

A medida estabelece que biocombustíveis que necessitem de extensa área de terras para produção serão caracterizados como de alto risco. Nesse caso, estão incluídos alguns tipos de biodiesel feitos à base de óleos vegetais. As novas regras limitam o volume desse tipo de biocombustível que pode ser contabilizado como energia renovável na meta de cada país membro do bloco.

A medida integra uma nova lei da UE que prevê aumentar a parcela de energia renovável para 32% até 2030. Na normativa, a Comissão estabelece limite de um ponto porcentual para a contribuição do uso de biocombustíveis, biodiesel e combustível de biomassa de alto risco no abastecimento dos transportes ferroviários e rodoviários na meta de energia renovável de cada país do bloco até 2020.

Além disso, a regulamentação exige que os limites nacionais para o uso desse tipo de biocombustível no período de 2021 a 2023 permaneçam no nível de 2019 e que a partir de 2024 diminua gradualmente até atingir zero em 2030. "Não há limitação para importação ou para uso desses combustíveis. Os Estados-membros continuarão a poder importar e utilizar combustíveis incluídos na categoria de biocombustíveis de alto risco", pondera a entidade no texto.

Segundo a comissão, a expansão da produção de biocombustíveis ocupa terras que antes eram destinadas ao cultivo de alimentos e cereais para rações, fazendo com que a produção de cereais passe a ocupar novas áreas vegetais, como florestas, zonas úmidas e turfeiras. No documento, a Comissão destacou que o desmatamento de florestas provoca a emissão de gases de efeito estufa, tais como os de combustíveis fósseis.

As novas regras não restringem o uso desses biocombustíveis pelos países da União Europeia (UE), mas pode levar a menor importação pelos países desse tipo de energia, já que terão limite para utilização como energia renovável. Entre os combustíveis renováveis classificados como de alto risco está o óleo de palma.

A Comissão afirma que, desde 2008, 45% da expansão da produção de óleo de palma levou à destruição de florestas, zonas úmidas ou turfeiras e à consequente libertação de gases com efeito de estufa, em comparação com 8% para soja e 1% para girassol e colza.

Há meses, a Comissão Europeia estuda a redução do uso de combustíveis que causam desmatamento. Países produtores como Malásia e Indonésia questionam a medida restritiva da UE, alegando que o método usado para definir sustentabilidade favorece óleos vegetais da Europa, como girassol e colza. O bloco é o maior importador mundial de óleo de palma.

Curte o conteúdo da Globo Rural? Ele também está no Globo Mais. Nesse aplicativo você tem acesso a um conteúdo exclusivo e às edições das melhores publicações do Brasil. Cadastre-se agora e experimente 30 dias grátis.

Fonte: Estadão Conteúdo
Texto extraído da revista Globo Rural
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
20/05/19 - Jato da Embraer realiza primeira travessia transatlântica abastecido por biocombustível
06/05/19 - BNDES amadurece estratégia de apoio a gás e biocombustíveis, diz Levy
28/03/19 - "Brasil é apenas um espectador no avanço dos biocombustíveis para aviões"
15/03/19 - Comissão Europeia adota critérios mais rígidos para biocombustíveis
27/02/19 - União Europeia revê status de biocombustíveis
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Comissão Europeia adota critérios mais rígidos para biocombustíveis
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Fórum de Implementação Tecnológica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/