Segunda-feira, 27 de maio de 2019
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Opinião Aumentar a letra    Diminuir a letra
O que esperar do encontro Trump/ Bolsonaro  

15/03/2019 - Bolsonaro parte para o encontro sob um vendaval de críticas por ter descartado o plano de uma comitiva mais técnica e empresarial, que poderia trazer negócios promissores ao País depois de longa e custosa temporada de distanciamento do parceiro norte-americano

Finalmente, depois da troca de afagos mútuos, da admiração incontida do presidente brasileiro por seu colega dos EUA (quase um alter ego para explicar os rompantes que dá), eles estarão frente a frente na próxima semana. Trump e Bolsonaro, juntos, já foram capazes de sacudir as entranhas da política com seus estilos de gestão heterodoxos — de mais a mais, bem parecidos entre si. Ambos incorporaram as redes sociais como ferramenta para governar. Chocaram o mundo com esquisitices em série e parecem agora prontos para dividirem impressões e propostas de como enfrentar os problemas (que imaginam) de interesse comum.

Bolsonaro parte para o encontro sob um vendaval de críticas por ter descartado o plano de uma comitiva mais técnica e empresarial, que poderia trazer negócios promissores ao País depois de longa e custosa temporada de distanciamento do parceiro norte-americano. As queixas nesse sentido vieram dos próprios empresários simpatizantes que se sentiram desprestigiados. Bolsonaro, por sua vez, entende que essa primeira audiência conjunta - espera que várias outras se sigam - servirá apenas e tão somente para afinar intenções. De todo modo, estarão no cardápio das conversas alguns acordos setoriais decisivos que, se evoluírem, trarão benefícios gerais. Entre eles, o pacto de salvaguardas tecnológicas que, na prática, podem ser diminuídas para facilitar o fluxo de comércio entre os dois países.

Outro ponto provavelmente em discussão será o das facilidades no plano das exportações e importações em larga escala. Não está ainda detalhado em que termos esse benefício ocorrerá, mas ele foi incluído na pauta das conversas. É sabido que, tanto no Brasil como nos EUA, as empresas são cadastradas para que assim possam diminuir as burocracias exigidas no fluxo de operações de suas mercadorias. Nos EUA, o cadastro recebe o nome de batismo de "Trusted Traders", ou algo como negociadores confiáveis. O grande pulo do gato para comerciantes é ser incluído nessa, digamos, lista VIP. O que quer o Brasil, segundo assessores de Bolsonaro, é um acordo que vise o reconhecimento recíproco entre as duas economias das empresas cadastradas em seus respectivos sistemas.

Seria um passo firme na direção de se estabelecer uma aliança de livre comércio — meta, por enquanto, empurrada para o longo prazo. Um bloco de mercado comum, incluindo Brasil e EUA, necessariamente esbarra no Mercosul, que tem regras rígidas para o acerto de acordos paralelos independentes. Negociar uma exceção demandará ainda exaustiva diplomacia. O objetivo fim, de todo modo, não está descartado por nenhum dos auxiliares do governo Bolsonaro envolvidos com o tema. De uma maneira ou de outra, a conversa entre os dois chefes de Estado, marcada para a segunda-feira 18, representará uma guinada decisiva de relações que estiveram mornas nos últimos anos.

(Nota publicada na Edição 1112 da Revista Dinheiro)

Carlos José Marques
Fonte: Istoé Dinheiro
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
24/05/19 - Brasil abre 129.601 vagas formais de trabalho em abril, mostra Caged
  - IPCA-15: energia sobe 0,72% em maio
  - Safra de grãos de verão no RS apresenta boas produtividades
  - Dólar tem pouca variação ante real acompanhando exterior e de olho na cena política local
  - IPCA-15 desacelera alta em maio a 0,35% com fraqueza em alimentação e artigos de residência
  - USDA informa nova venda de 113 mil t de milho para o México
  - Milho se recupera das baixas de ontem e abre sexta-feira se valorizando em Chicago
  - China pode manter crescimento "saudável" apesar de disputa comercial
  - Soja tem leve avanço em Chicago nesta 6ª feira com recuperação e atenta ao clima
  - Exportação de milho do Brasil, mais competitivo que o dos EUA, deve ganhar ritmo
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
O que esperar do encontro Trump/ Bolsonaro
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Consecana
• Fórum de Implementação Tecnológica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/