Quinta-feira, 18 de julho de 2019
:
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Opinião Aumentar a letra    Diminuir a letra
Mundo enfrenta dilema dos combustíveis, mas Brasil está bem com etanol  

24/06/2019 - A Associação Brasileira de Engenharia Automotiva organizou na última semana o "Simpósio de Eficiência Energética e Emissões". O mundo está às voltas com um dilema: a demanda de energia crescerá 30% até 2040 e só depois desta década o petróleo dará sinais de recuo. Até lá emissões de CO2 terão de ser reduzidas pelo "Acordo Mundial do Clima".

Se o cálculo for feito "do poço à roda" (da produção primária ao que sai pelo escapamento dos veículos) a conta fica ainda mais difícil de fechar.

Nos EUA, grande discussão. Todo o ramo do transporte responde por 30% das emissões de gases causadores do efeito estufa. E só o segmento automotivo (dos carros leves aos caminhões) é responsável por 60% desse primeiro total.

Neste momento, segundo agências internacionais como a "Automotive News" e "Reuters", a administração de Donald Trump calcula os riscos e vantagens em desfazer os padrões de emissão estabelecidos pelo ex-presidente Barack Obama (46,7 milhas por galão até 2026) para 37 mpg. Obama e seu comitê para cumprir a agenda climática traçaram plano para cortar custos de combustível e suas emissões em US$ 1,7 trilhão, com reduções anuais de 5% nas emissões. Isso, porém, pode custar US$ 200 bilhões à indústria do país em 13 anos.

No início do mês, General Motors, Volkswagen e Toyota, além de outras 14 fabricantes, conclamaram a Casa Branca a retomar as negociações com a Califórnia (Estado norte-americano mais avançado no uso de energia alternativa e em restrições a emissões) e realizar um "acordo intermediário" entre os padrões da era Obama e os objetivos de Trump.


Brasil pode ter crédito global

O Brasil está bem nesse cenário graças aos biocombustíveis: etanol (principalmente) e biodiesel. Segundo a Unica (União da Indústria da Cana de Açúcar, consórcio formado por produtores, beneficiadores e empresas dos setores de indústria e energia), o programa do carro flex iniciado em 2003 permitiu a massificação das vendas de motores que se utilizam do etanol, além da gasolina.

Com isso, mais de 530 toneladas de CO2 deixaram de ser emitidas no país.

A meta global de emissões de 91 g/km de CO2 para veículos leves é rigorosa, mas deve ser atendida. Haverá aumento da produção de etanol para 49 bilhões de litros, quase o dobro do nível atual.

E com o programa "RenovaBio" poderemos vender créditos de carbono para outros países, em especial europeus.

No mesmo seminário foi apresentada a próxima especificação da gasolina. Entre outras mudanças, finalmente se adotará a octanagem RON, de maior difusão no mundo, e manutenção de 27% de etanol.

Dessa forma haverá maior transparência no processo de produção. Além disso, a referência RON é mais significativa para motores modernos, inclusive os que utilizam turbocompressores.

Fernando Calmon
Fonte: UOL Notícias
Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não representando,
necessariamente, a opinião e os valores defendidos pela UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
17/07/19 - Brasil trabalhará para incluir automóveis e açúcar em união aduaneira do Mercosul, diz Bolsonaro
  - Venda de veículos financiados sobe 9% no 1º semestre
  - Etanol/EUA: produção avança 1,81% na semana, para 1,066 mi de barris/dia
  - Demanda elevada impulsiona preços do etanol em São Paulo
  - ANP: etanol continua competitivo com gasolina em cinco estados brasileiros
16/07/19 - Bateria ou híbrido? Nenhum dos dois!
  - Etanol: Procura elevada impulsiona cotações em São Paulo
  - Biocombustíveis estarão entre principais temas da visita do 1º ministro da Índia ao Brasil em
  novembro
15/07/19 - Biocombustíveis: São Martinho coloca em consulta pública dados da usina Iracema para Renovabio
11/07/19 - Com RenovaBio no horizonte, agentes se reúnem para definirem prioridades
10/07/19 - Festa no canavial, carros híbridos podem elevar produção de etanol no Brasil
  - Como surfar na onda do RenovaBio a partir de 1º de janeiro de 2020?
  - CNPE publica metas do RenovaBio para redução de emissões
  - RenovaBio: CNPE publica resolução que define metas compulsórias
08/07/19 - Primeiro carro a álcool completa 40 anos
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Mundo enfrenta dilema dos combustíveis, mas Brasil está bem com etanol
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário:
 
 
A UDOP

• Associadas
• Associe-se
• Estrutura Administrativa
• Nossa História
• Missão, Visão e Objetivos
• Troféu da Agroenergia
• Serviços Prestados
• Vídeo Institucional
• Contatos
Institucional

• Comitês de Gestão
• Convênios e Parcerias
• Legislação
• Sustentabilidade
UniUDOP

• A UniUDOP
• Congresso Nacional da Bioenergia
• Fórum de Implementação Tecnológica
• Pós-Graduação
• Qualifica
• Seminário UDOP de Inovação
Imprensa

• Agência UDOP de Notícias
• Últimas Notícias
• Fórum de Articulistas
• Galerias de Fotos
• Mídias Sociais
• RSS
• TV UDOP
• Apoio Cultural
• Contatos
Dados de Mercado

• Boletins
• Comércio Exterior
• Consecana
• Cotações
• Indicador - Açúcar
• Indicador - Etanol
• Produção Brasileira
Serviços

• Biblioteca Virtual
• Bolsa de Empregos
• Bolsa de Negócios
• Calendário de Eventos
• Guia de Empresas
• Índice Pluviométrico
• Pesquisas UDOP
• Previsão do Tempo
• Usinas/Destilarias
Mapas

• Usinas/Destilarias
• Bacias Hidrográficas
UDOP - União dos Produtores de Bioenergia
Praça João Pessoa, 26 - Centro - 16.010-450 - Araçatuba/SP - tel/fax: +55 (18) 2103-0528

2012 - Todos os direitos reservados

POLÍTICAS DE PRIVACIDADE
Desenvolvimento:
/