UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Brasil elevará colheita de soja em 4,7% e pode ser maior produtor, diz Safras  

19/07/2019 - A safra de soja do Brasil em 2019/20 deverá somar 123,8 milhões de toneladas, alta de 4,7% ante a temporada anterior, quando a produção foi atingida pelo clima desfavorável em algumas áreas, estimou nesta sexta-feira a consultoria Safras & Mercado.

O aumento previsto para o novo ciclo, que poderá levar o Brasil a se tornar o maior produtor global, está baseado também em um crescimento de área plantada de apenas 0,8 por cento, para 36,631 milhões de hectares ?ainda assim, seria a maior área da história do país, segundo a consultoria.

?Se o clima permitir, o Brasil poderá se consolidar como o maior produtor do mundo da oleaginosa na temporada 2019/20...?, destacou o analista da Safras Luiz Fernando Roque.

Se confirmada a projeção da consultoria, o país superaria os Estados Unidos na produção da oleaginosa, conforme projeção divulgada anteriormente pelo Departamento de Agricultura norte-americano (USDA), que tem um número um pouco menor ao da Safras para o Brasil.

A safra 2019/20 do Brasil começa a ser plantada em meados de setembro, enquanto a dos EUA está em desenvolvimento, após uma temporada de plantio no Hemisfério Norte afetada pelas chuvas excessivas, que colaboraram para reduzir expectativas de colheita norte-americana para 104,6 milhões de toneladas, segundo o USDA.

O recorde anterior na produção de soja do Brasil foi marcado em 2017/18, acima de 120 milhões de toneladas, quando produtores no maior exportador global de soja foram favorecidos por um clima favorável.

Na safra anterior (2018/19), o Brasil produziu 117 milhões de toneladas, enquanto os EUA colheram 123,7 milhões, segundo o USDA.

Apesar da projeção positiva, baseada na recuperação das produtividades ante 2018/19, o ritmo de aumento de área no Brasil deverá diminuir nesta safra, por incertezas sobre a questões fiscais e aumento de custos, além de recente queda nos preços da commodity, disse Roque.

Segundo ele, indefinições sobre os rumos do mercado internacional no contexto da guerra comercial EUA-China também ?trazem um cenário de desconforto para o produtor brasileiro neste momento?.

?Tal desconforto leva, inicialmente, à intenção de elevar pouco a área a ser semeada com soja na nova temporada. Além disso, a recente melhora na remuneração da pecuária brasileira diminuiu o ímpeto da transferência de pastagens para o cultivo da oleaginosa?, comentou Roque.

Deverá haver algumas transferências de áreas de feijão e milho verão nas regiões centrais do país, mas também em um ritmo inferior às safras anteriores. A maioria dos Estados brasileiros deverá ter aumento de área na soja, indicou a Safras.


MILHO

Já a área plantada com milho no verão na nova safra deverá recuar, com produtores deixando para apostar no cereal na segunda safra, observou o analista Paulo Molinari.

?Os preços mais altos dos fertilizantes também favorecem com que os produtores optem por um cultivo mais expressivo da oleaginosa no verão?, explicou o analista.

Inicialmente, Safras indica uma retração de 1,3% na área a ser plantada com a safrinha em 2019/20.

Dessa forma, a área total com o milho deverá ocupar 17,682 milhões de hectares, com recuo de 1,8% frente a 2018/19, o que resultaria em produção de 103,970 milhões de toneladas, versus históricos 107,492 milhões do ano anterior.

Roberto Samora
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
06/12/19 - Milho encerra quinta-feira em baixa na Bolsa de Chicago
  - Soja sobe em Chicago pela terceira sessão consecutiva, compensa baixa do dólar e mantém preços no
  Brasil
05/12/19 - Milho segue estável em Chicago no aguardo de mais notícias sobre a demanda
  - Milho: quinta-feira começa com leves perdas na espera no USDA
  - Milho tem leves baixas em Chicago nesta 4ª, mas preços se sustentam no Brasil
  - Soja intensifica ganhos em Chicago e sobe nesta 5ª feira pela terceira sessão consecutiva
  - USDA: Vendas de soja dos EUA caem 59% na semana e ficam abaixo das expectativas
  - USDA informa venda de 245 mil t de soja nesta 5ª feira
  - Datagro estima área plantada recorde de soja na América do Sul em 2019/20
04/12/19 - Incentivo dos preços pode dar fôlego à safrinha de milho
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Brasil elevará colheita de soja em 4,7% e pode ser maior produtor, diz Safras
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: