UDOP - União Nacional da Bioenergia
EDITORIAS
Agência UDOP | Açúcar | Biodiesel | Cana-de-Açúcar | Combustíveis Fósseis | Diversas | Economia
Energia | Espaço Datagro | Etanol | Fórum de Articulistas | Opinião | TV UDOP | Últimas Notícias
Diversas Aumentar a letra    Diminuir a letra
Renovabio forçará aumento da produção  

07/08/2019 - Para atender o Renovabio, a produção de etanol no Brasil deverá atingir 48 bilhões de litros por ano-safra, o que representa um incremento superior a 40% em relação à produção da safra 2018/2019.

Instituída pela lei 13.573/2017, a nova Política Nacional de Biocombustíveis, chamada Renovabio, tem objetivo de expandir a produção de biocombustíveis no país, baseada na previsibilidade, na sustentabilidade ambiental, econômica e social, e compatível com o crescimento do mercado.

O Brasil trabalha com essa expansão para atender o compromisso assumido em 2016, na COP21(Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2015), por meio do chamado Acordo de Paris, de reduzir em até 43% até 2030 a emissão de gases causadores do efeito estufa.

CBIOs
?Foi criada uma espécie de moeda virtual, que são os CBIOs (Créditos de Descarbonização), onde as distribuidoras que terão que comprá-los para que possam vender o combustível fóssil, que é poluente. Já as usinas que produzem combustíveis limpos (etanol, biodiesel e biogás) vão receber um prêmio pelo que deixam de poluir?, explica o presidente executivo da UDOP (União Nacional da Bioenergia), Antonio Cesar Salibe.

A nova política de Estado entra em vigor em 1º de janeiro de 2020 e incentivará a produtividade das usinas. ?O CBIO será gerado em função da quantidade de cana que se produz. A esperança do setor é que, ao entrar em vigor, o Renovabio eleve a produtividade as plantas produtoras?, completou Salibe.

A negociação dos créditos de descarbonização será feita em mercados organizados, inclusive em leilões. Para participar, as usinas precisarão ter uma certificação, com validade para três anos.

Atualmente, de acordo com o levantamento do site Nova Cana, oito usinas de etanol estão em consulta pública para a certificação do Renovabio e poderão ser as primeiras a comercializarem os créditos. Duas delas são da região de Araçatuba: a Vale do Paraná, em Suzanápolis, e a Da Mata, em Valparaíso.

O Renovabio foi um dos assuntos debatidos no Congresso Nacional de Bioenergia, realizado pela UDOP, nos dias 31 de julho e 1º de agosto, em Araçatuba. O evento contou com a presença de 1,5 mil pessoas ligadas ao setor de bioenergia.

Aline Galcino
Fonte: Hoje Mais - Araçatuba/SP
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Enviar por e-mail Imprimir
Clipping de Notícias UDOP
Inscreva-se e receba as novidades do setor.
    
Notícias Relacionadas
13/09/19 - Açúcar: contratos futuros fecham em baixa mesmo após perspectiva de menor produção indiana
  - Conferência Internacional Datagro destaca o etanol como grande protagonista do setor sucroenergético
  - Estoques de etanol do País recuam 20% até 31/8 sobre igual período de 2018
  - Acordo sobre tarifas com EUA será ´mais adiante´, diz Araújo
  - Sem incentivos, usinas podem parar de produzir etanol anidro em Goiás
11/09/19 - A estratégia das distribuidoras para o Renovabio
04/09/19 - UDOP abre prazo de preenchimento de sua Pesquisa de Remuneração, referência no setor
28/08/19 - Renovabio trará um grande diferencial de eficiência industrial, energética e proteção ao meio
  ambiente
  - Falta de CAR pode barrar usinas no RenovaBio
27/08/19 - RenovaBio e combate ao desmatamento
  - ANP e Serpro criarão plataforma com dados de produtores do RenovaBio
26/08/19 - Presidente executivo da UDOP é eleito na categoria Quem é Quem no Setor
12/08/19 - Pedro Mizutani recebe o Troféu da Agroenergia
08/08/19 - Preços do açúcar despencam 39 pontos em Nova York
02/08/19 - Bioenergia: setor se reúne para discutir Renovabio
Para enviar a notícia, basta preencher o formulário abaixo.
Todos os campos são de preenchimento obrigatório!
 
Renovabio forçará aumento da produção
 
Seu nome:
Seu e-mail:
Destinatário:
E-mail destinatário:
(separe mais de um e-mail por ,)
Comentário: