Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Soja 2019/20: Apesar de chuvas melhores, produtores seguem em alerta; veja fotos e vídeos
Publicado em 21/10/2019 às 13h59
As chuvas que chegaram ao cinturão da soja, no Centro-Sul do Brasil, foram melhores no último final de semana, porém, ainda insuficientes para diminuir a apreensão dos produtores em importantes regiões do Brasil. A necessidade de replantio já está confirmada em estados como Goiás, Paraná, Mato Grosso do Sul e até mesmo pontos de São Paulo.

Informações apuradas pelo Commodity Weather Group (CWG) mostram que, nas últimas 72 horas, cerca de 40% a 45% da área de soja foi alcançada pelas chuvas, ainda muito irregulares e de volumes limitados. Foram precipitações variando entre 12,7 e 44,45 mm, com alguns registros locais chegando a 88,9 mm.

"O final de semana foi chuvoso no Centro-Sul do Brasil, mas há ainda faltas de umidade no leste e norte do Paraná, centro e leste de São Paulo e noroeste do Mato Grosso do Sul", diz o CWG. "E as previsões mostram a chegada das chuvas em mais áreas que sofrem com seca na próxima semana", diz o instituto meteorológico internacional. E as previsões para as próximas semanas seguem indicando precipitações abaixo do esperado para o Goiás - onde o replantio de muitas áreas também é certo - partes de Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo.

Já o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) mostra, no mapa abaixo, que quase todo o país recebeu chuvas de volumes altos a moderados, permitindo alguma melhora nas condições de plantio da nova safra de soja.


Paraná

Com essas pequenas mudanças sendo confirmadas, no Paraná os trabalhos de campo se intensificaram em algumas regiões, embora as chuvas dos últimos dias ainda não tenham sido tão expressivas, como relata o presidente da Aprosoja PR, Márcio Bonesi. Nesta segunda-feira (21), segundo ele, comenta-se sobre chuvas de 7 a 20 mm em diferentes partes do estado.

"De sexta-feira para cá eu já pude observar o plantio acontecendo em algumas regiões, de Maringá a Cascavel, por exemplo. Os produtores estão apostando nessas chuvas. Ainda não é volume ideal, mas voltou a chover, e isso dá um fôlego para o produtor", diz Bonesi. "Mas há muitos produtores com a certeza do replantio", completa.

Como explicou o presidente da Aprosoja local, há grandes áreas onde o replantio já está confirmando e as cooperativas, inclusive, já estão preocupadas com a possibilidade de uma falta de oferta de sementes em função desse cenário. "São áreas grandes onde terá que ser feito o replantio", complementa.

Bonesi destaca regiões ainda como o norte paranaense, onde há também um atraso no plantio diante da falta de chuvas, "mas a semente ainda não está no solo". E assim, o clima de apreensão entre os produtores do Paraná continua. "As piores condições estão sendo registradas no noroeste e no oeste do estado. No centro-sul até chove um pouco melhor, mas não sobre água", complementa.

Segundo ele, que está no Paraná desde 1994, "nunca houve um período tão sério de falta de umidade como este no estado. Na sequências, fotos mostram as diferenças entre lavouras em diferentes regiões do estado.


Goioerê

Plantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos: Márcio BonesiPlantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos: Márcio BonesiPlantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos: Márcio BonesiPlantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos: Márcio BonesiPlantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos: Márcio BonesiPlantio soja 2019/20 - Goioerê/PR - Fotos:
Seguro - Bonesi alertou ainda para pecualiaridades do seguro para o replantio que às quais os produtores têm des estar atentos. "Alguns contratos de companhias de seguro têm a cláusula do replantio, porém, só quando a planta depois de emergir atingiu os 15 cm e em algumas regiões isso não foi alcançado", diz.


Mato grosso do Sul

"Ainda não chegou uma boa chuva no estado e o ano está sendo bem difícil para o Mato Grosso do Sul", diz o produtor rural Juliano Schmaedecke. Segundo ele, diante dessas condições, poucas regiões evoluíram com o plantio nos últimos dias e os produtores ainda estão muito apreensivos.

Como relatou Schmaedecke, o risco de replantio segue muito elevado, principalmente em áreas como o oeste e o sul do estado, onde as chuvas ainda não chegaram adequadamente. Nestes últimos dias, algumas precipitações foram registradas em cidades como Maracaju, Sidrolândia, Bonito e em partes de Rio Brilhante.

"As chuvas são muito irregulares, algumas áreas chegaram a marcar até 30 mm, mas são chuvas somente parciais", diz.

Na região de Laguna Carapã, o plantio foi feito, as sementes estão no solo, mas as chuvas que caíram foram extremamente mal distribuídas e podem causar prejuízos consideráveis. "Tivemos chuvas que ajudaram bastante algumas áreas e outras, não. Há áreas com problemas sérios, onde pode haver replante. O grão da soja está no chão, pode até vir a embebedar e não germinar", explica Antônio Rodrigues Neto, consultor técnico da Casa da Lavoura.
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas