Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
É grande o otimismo da Biosev para 2020
Publicado em 08/11/2019 às 14h59
A Biosev, um dos maiores grupos sucroenergéticos do mundo, realizou nesta quinta-feira (07) em Ribeirão Preto, SP, o Encontro de Fornecedores e Parceiros de cana-de-açúcar da Biosev em 2019.

O Encontro contou com a presença de executivos da empresa, entre eles, o CEO da companhia, Juan José Blanchard que destacou os recentes investimentos do Grupo, que deverão elevar a produtividade dos canaviais e o rendimento industrial.

"Ano passado, adquirimos 70 colhedoras de cana. Para este ano, devemos comprar mais 40. Softwares para modernização das operações também fazem agora parte do processo. Somados, esses fatores foram preponderantes para um aumento da produtividade média dos canaviais, que chegou a 88 ton/ha."
Blanchard afirmou, ainda, que a companhia investiu para ampliar o mix de etanol, que saiu de 48% em 2016/17 para 66% no primeiro trimestre de 2020. Um aumento de 18%.

A Biosev está confiante sobre o cenário de 2020, esperando melhores preços de açúcar e etanol, e muito por conta do Programa Nacional de Biocombustíveis, RenovaBio, que entrará em funcionamento a partir de janeiro de 2020, inicialmente, duas de suas oito unidades estão sendo preparadas para atender os critérios do programa.

Entre esses critérios está o de aumento de eficiência, e esse é o foco principal da Biosev. "Não queremos ser os maiores em quantidade de unidades, queremos é ter maior volume de cana na mesma área, produzir mais açúcar por hectare. E estamos investindo para isso", disse Blanchard, que salientou ser fundamental produzir com custos competitivos, para isso, é importante privilegiar o que tem sinergia com a empresa. Esse foi o motivo, principal, da venda das duas unidades na região Nordeste (Giasa na Paraíba e Estivas no Rio Grande do Norte).
Fonte: Cana Online
Texto extraído do portal Siamig
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas