Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Contratos futuros do açúcar registraram alta de 7,5% na última semana
Publicado em 22/02/2021 às 08h51
Foto Notícia
Os contratos futuros do açúcar fecharam a semana com ganhos de 7,5% na ICE, de Nova York, impulsionados pelo aperto das ofertas no curto prazo, pela perspectiva de atraso no início da moagem no Brasil, problemas de escoamento de produção na Índia e disponibilidade reduzida na Tailândia que deve ter uma quebra de safra este ano.

Na última sexta-feira (19), os contratos futuros do açúcar bruto da ICE, no vencimento março/21, fecharam cotados em 17,79 centavos de dólar por libra-peso, alta de 28 pontos, ou 1,8% no comparativo com a véspera. Durante a sessão, a commodity chegou a bater 17,96 cts/lb, mais alto patamar para o primeiro contrato desde março de 2017. Os demais vencimentos da bolsa de Nova York subiram entre 1 e 31 pontos.

Em Londres o açúcar branco também fechou em alta. No vencimento maio/21, a commodity foi comercializada em US$ 481,40 a tonelada, valorização de 8,20 dólares no comparativo com a véspera. Na mesma sessão a commodity chegou a bater 484,80 dólares/tonelada, uma máxima contratual.

Nos demais vencimentos da bolsa de Londres o açúcar branco fechou valorizado entre 20 cents de dólar, no vencimento outubro/22 a 7,90 dólares, na tela com vencimento em agosto/21, cotada em US$ 461,60 a tonelada.

Para o economista Arnaldo Luiz Corrêa, diretor da Archer Consulting, "o mercado de açúcar em NY desafia nossa inteligência a todo momento e quando não encontramos razões suficientes para justificar movimentações bruscas de preço, é mais fácil ajustar a narrativa dos fatos às cotações que brilham na tela".

Para Corrêa, no entanto, a notícia, no final da última sexta-feira, de que o Presidente Bolsonaro havia trocado o presidente da Petrobrás, traz preocupação para o setor. "Esse é um cisne negro que pode mudar a trajetória de preços do açúcar no mercado internacional e pode ser um duro golpe para o setor sucroalcooleiro", destacou.


Mercado doméstico

No mercado interno o açúcar registrou sua terceira alta seguida pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP, com a saca de 50 quilos do tipo cristal sendo negociada na sexta-feira pelas usinas por R$ 108,02, valorização de 0,65% no comparativo com os preços praticados na véspera.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.