Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Contratos futuros do açúcar fecham em baixa após tocaram máxima
Publicado em 24/02/2021 às 08h00
Foto Notícia
Os contratos futuros do açúcar em Nova York e Londres fecharam em baixa nesta terça-feira (23) após tocarem as máximas no início desta semana. Para analistas, no entanto, o mercado continua com perspectivas altistas, principalmente agora, que os fundos podem aproveitar a baixa para comprar.

Em Nova York, na ICE, o açúcar branco no vencimento março/21 fechou cotado em 18,41 centavos de dólar por libra-peso, queda de 37 pontos, ou 2%, no comparativo com os preços de segunda-feira. Já a tela para maio/21 foi comercializada em 17,01 cts/lb, desvalorização de 43 pontos no comparativo com a véspera. As demais telas caíram entre 7 e 33 pontos.

Segundo a Reuters, "operadores disseram esperar que os preços caiam por alguma realização de lucros, mas que esse movimento deve ter curta duração, porque é provável que os fundos vejam essa queda como uma nova oportunidade de compra".

"As ofertas no curto prazo seguem apertadas, depois de uma safra ruim na Tailândia e interrupções no transporte das exportações da Índia. Ao mesmo tempo, o ambiente macro continua melhorando, em meio a sinais de que a vacinação contra a Covid-19 está começando a conter o vírus", destacou a agência internacional de notícias.


Londres

Em Londres o açúcar branco também se desvalorizou em todos os lotes. A tela para maio/21 fechou cotada em US$ 478,40 a tonelada, queda de 10 dólares no comparativo com o dia anterior. Já o vencimento agosto/21 retraiu 8,60 dólares, negociado em US$ 459,80 a tonelada. Os demais lotes caíram entre 4,60 e 7,60 dólares.

Mercado doméstico

No mercado interno o açúcar cristal registrou mais um dia de alta pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP, com a saca de 50 quilos negociada ontem em R$ 109,54, contra R$ 109,13 da véspera, valorização de 0,38% no comparativo entre as datas.


Etanol diário

O etanol hidratado registrou sua 11ª alta consecutiva pelo Indicador Diário Paulínia nesta terça-feira. Ontem, o metro cúbico do biocombustível foi negociado em R$ 2.732,00, contra R$ 2.675,50 da véspera, valorização de 2,11% no comparativo entre as datas.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas