Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Preço do óleo de soja despenca após Brasil reduzir mistura de biodiesel no diesel
Publicado em 19/04/2021 às 14h58
Preço do óleo de soja afunda com redução da mistura de biodiesel no diesel, demanda chinesa, estoques dos EUA e com a queda do óleo de palma na Malásia.

O preço do óleo de soja afundou em quase seis semanas, após o Ministério de Minas e Energia (MME) reduzir provisoriamente a quantidade de biocombustível que é misturada ao diesel de 13% para 10% , por alta no preço nos combustíveis.

Brasil, o país com maior plantio de soja, vê o óleo diesel sendo obrigado temporariamente a conter 10% de biodiesel. Antes a mistura era de 13%.

O governo brasileiro pretende reduzir os aumentos de preços provocados pela demanda chinesa e pelos estoques apertados dos EUA. O óleo vegetal responde por cerca de 70% do biodiesel brasileiro.

A mudança de política "pode devolver alguns alqueires ao programa de exportação no momento em que nova oferta de safra do país entrar no mercado", disse Rich Nelson, estrategista-chefe da Allendale, por e-mail.

Queda do óleo de palma na Malásia também interfere no preço do óleo de soja

A queda do óleo de palma na Malásia em meio a oferta acima do esperado, também interferiu no perço do óleo de soja. O óleo de palma é um substituto do óleo de soja e ambos são amplamente usados para cozinhar e como combustível. Um dos fatores adicionais é um relatório que projeta safra brasileira maior, disse Nelson.

A queda de preço interrompe um rali impulsionado por uma escassez global mais ampla de óleo vegetal que impulsionou o óleo de soja em mais de 80% em 2020.

Pronunciamento do Ministério da Agricultura sobre a redução na mistura do biodiesel
Apesar da expectativa de a safra brasileira de soja, uma das principais matérias-primas do biodiesel, crescer para aproximadamente 136 milhões neste ano, o mercado mundial continua com forte demanda, o que levou a uma reavaliação momentânea do percentual da mistura nos combustíveis, segundo nota conjunta da pasta com o Ministério da Agricultura.

Os outros ministérios acrescentaram que o governo é apoiador do programa de biodiesel e espera a retomada da utilização da mistura nos patamares estabelecidos pelo Conselho Nacional de Política Energética. A mistura de 13% nos combustíveis passou a valer em março, com uma alta de um ponto percentual ante o patamar prévio.

MME já havia reduzido a mistura nos combustíveis antes

Essa não é a primeira vez que o governo reduz temporariamente a mistura no diesel, porém a diferença é que o nosso país, mesmo sendo um dos maiores produtores e exportadores de soja, está em fase de colheita, com grandes estoques. Em agosto, o país estava na entressafra quando a ANP cancelou um certame.

Naquela ocasião, o ministro da Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, anunciou a redução da mistura no diesel, citando problemas na disponibilidade da soja. O biodiesel brasileiro tem no óleo de soja sua maior parcela de matéria-prima, com aproximadamente 71%, e o restante é composto de sebo bovino e outros óleos.

A Petrobras, na última sexta-feira, anunciou corte de 2,2% no valor do diesel nas suas refinarias, ou R$ 0,08% por litro. Esse corte acompanha a variação das cotações internacionais e aqueda do dólar. Além do biocombustível, outro fator de pressão sobre o combustível é o fim do período de isenção de impostos federais, em Maio.
Fonte: Click Petróleo e Gás
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas