Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
B3 abre a 5ªfeira ainda sem força para os futuros do milho
Publicado em 06/05/2021 às 12h05
A quinta-feira (06) se inicia com os preços futuros do milho operando em campo misto na Bolsa Brasileira (B3). As principais cotações registravam movimentações entre 0,10% negativo e 0,25% positivo por volta das 09h14 (horário de Brasília).

O vencimento maio/21 era cotado à R$ 101,50 com perda de 0,10%, o julho/21 valia R$ 103,18 com queda de 0,08%, o setembro/21 era negociado por R$ 101,55 com alta de 0,06% e o novembro/21 tinha valor de R$ 102,25 com elevação de 0,25%.

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) começou a quinta-feira novamente subindo para os preços futuros do milho. As principais cotações registravam movimentações positivas entre 2,75 e 8,50 pontos por volta das 08h56 (horário de Brasília).

O vencimento maio/21 era cotado à US$ 7,56 com alta de 2,75 pontos, o julho/21 valia US$ 7,13 com elevação de 5,25 pontos, o setembro/21 era negociado por US$ 6,36 com ganho de 5,25 pontos e o dezembro/21 tinha valor de US$ 6,13 com valorização de 8,50 pontos.

Segundo informações do site internacional Successful Farming, os preços do milho subiram durante a noite em meio às constantes preocupações com o clima no Brasil. Pouca ou nenhuma chuva é esperada nas próximas semanas em áreas do país onde a safrinha de milho é cultivada.

"Se olharmos para a América do Sul, as condições de seca pesaram nas perspectivas de várias safras. A segunda safra de milho do Brasil nesta temporada está enfrentando reduções devido às condições de seca", disse Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING, disse em um relatório esta manhã.
Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.