Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Petróleo fecha com leve oscilação em meio à atenção aos estoques dos EUA
Publicado em 06/05/2021 às 09h13
Foto Notícia
Após um longo rali nos preços do petróleo, os contratos futuros da commodity devolveram os ganhos nesta quarta-feira e encerraram a sessão próximos da estabilidade.

O movimento ocorreu mesmo após a forte queda semanal nos estoques americanos, que os analistas consideraram como compreensível. Os contratos futuros do WTI para o mês de junho fecharam em queda de 0,09%, aos US$ 65,63 o barril na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). Enquanto isso, os contratos futuros do Brent para julho encerraram o dia em alta de 0,11%, aos US$ 68,96 o barril na ICE, em Londres.

Mesmo com a queda diária, as referências da commodity já acumulam ganhos superiores a 10% nos últimos 30 dias - fato que analistas apontam como um indicativo de que os preços estariam vulneráveis a uma realização de lucros. O Departamento de Energia (DoE) mostrou nesta jornada que os estoques americanos de petróleo diminuíram em 7,99 milhões de barris na semana passada, para 485,117 milhões de unidades. A queda superou a expectativa dos analistas consultados pelo "Wall Street Journal", derecuo de 2 milhões de barris no período.

As reservas de destilados - que incluem diesel e óleo para calefação - caíram o equivalente a 2,896 milhões de unidades, superando a expectativa de queda de 1,2 milhão. Os estoques de gasolina, no entanto, tiveram recomposição - subiram em 737 mil barris, contrariando a expectativa de queda de 900 mil unidades.

"Os estoques de petróleo dos EUA despencaram na semana passada principalmente porque as importações líquidas caíram para uma baixa recorde. Embora as importações líquidas provavelmente se recuperem nas próximas semanas, à medida que as exportações diminuem, acreditamos que os estoques de petróleo continuarão caindo, uma vez que a flexibilização progressiva das restrições relacionadas à pandemia deve impulsionar a demanda pelo produto", afirmou Samuel Burman, economista-assistente de commodities da Capital Economics.

Segundo ele, os preços do petróleo tiveram reação contida à divulgação dos dados "possivelmente porque o relatório da API [divulgado ontem]
tirou seu brilho". No dia anterior, a API havia informado uma queda de 7,688 milhões de barris nos estoques de petróleo dos EUA.

De acordo com Warren Patterson, chefe de estratégia de commodities do ING, o mercado está se concentrando mais no processo de reabertura
das economias, em vez da última onda de covid-19 na Índia, terceiro maior consumidor de petróleo do mundo.
Fonte: Money Times
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.