Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Setor sucroenergético discutirá suas boas práticas ambientais como oportunidades na economia verde
Publicado em 02/06/2021 às 10h44
Foto Notícia
Ainda celebrando o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado desde 1972 no dia 5 de junho, por instituição da ONU -- Organização das Nações Unidas, o setor sucroenergético realiza no próximo dia 11 de junho, às 14 horas, uma Live com o tema: Boas Práticas Ambientais como oportunidades na Economia Verde.

A live, que será transmitida através do canal da UDOP no Youtube (www.youtube.com.br/tvudop), será promovida pela UDOP em parceria com a Embrapa Meio Ambiente. Na oportunidade, além de palestras sobre o tema central, será lançado, oficialmente, o Prêmio UDOP/Embrapa de Boas Práticas Ambientais, que premiará, em novembro próximo, durante o 4º Seminário UDOP de Inovações, quatro usinas que se destacarem em suas práticas ambientais voltadas para o setor.

Participam da live o presidente da UDOP, Amaury Pekelman e o Chefe Geral da Embrapa Meio Ambiente, Marcelo Morandi, que farão a abertura e lançamento do Prêmio. Na sequência, os participantes assistirão a duas apresentações sobre as "Boas Práticas Ambientais como oportunidades na Economia Verde", com Maurício Antônio Lopes, Pesquisador, ex-Presidente da Embrapa e Membro do Conselho Consultivo de Pesquisa Agropecuária Internacional; e Plínio Nastari, Presidente da Consultoria Datagro e Membro do Conselho Nacional de Políticas Energéticas (CNPE).

Boas práticas

Com uma história de mais de 500 anos no Brasil, o reconhecimento como um dos setores que mais contribuem hoje para a preservação ambiental do Brasil surgiu a partir da década de 1970 quando o então setor açucareiro ganhou mais um produto para seu portifólio, o etanol, biocombustível que foi capaz de colocar o País como revolucionário dentro de sua matriz energética de combustíveis.

Usado tanto como aditivo à gasolina (no Brasil 27% da composição da gasolina é de etanol anidro) ou mesmo em motores flex, que rodam exclusivamente a etanol ou um mix com os combustíveis fósseis, o setor sucroenergético já evitou, desde 2003 (quando do advento dos carros flex), a emissão de mais de 566 milhões de toneladas de CO2, a soma das emissões anuais de países como a Argentina, Venezuela, Chile, Colômbia e Uruguai (segundo dados da Unica).

O setor ainda se destaca fortemente na recuperação de Áreas de Preservação Permanente; a geração de bioeletricidade (energia gerada com a biomassa da cana, 22.604 GWh só em 2020); quase 20% de participação (do complexo cana) na matriz energética nacional, tornando nosso país referência em matriz renovável do mundo; para citar apenas estes benefícios.

Serviço

Live: Boas Práticas Ambientais como oportunidades na Economia Verde
Data: 11 de junho (sexta-feira), às 14 horas
Transmissão gratuita: Canal do Youtube da UDOP -- clique aqui para assistir ou se inscrever no Canal
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.