Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Governo inicia processo para redução voluntária de consumo de energia
Publicado em 03/08/2021 às 08h17
Foto Notícia
O governo abriu nesta segunda-feira consulta pública para medida que visa estabelecer diretrizes para apresentação de ofertas de redução voluntária de demanda de energia elétrica, em momento em que o país lida com a baixa oferta de geração hidrelétrica devido à crise hídrica.

As diretrizes, que deverão ser estabelecidas de forma excepcional e temporária, até 30 de abril de 2022, integram as ações do governo para lidar com a maior crise hídrica em reservatórios de hidrelétricas do país em mais de 90 anos.

A consulta fica aberta para envio das contribuições até 9 de agosto. A iniciativa tem apoio de agentes do mercado e de grandes consumidores de energia.

No entanto, a Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace) apontou atenção com a barreira para participação com um volume mínimo de 30MW médios, proposto pelo governo, que pode reduzir a adesão ao programa, por ser muito alto.

Poderão participar da oferta os consumidores livres, os agentes agregadores, os consumidores modelados sob agentes varejistas e os denominados consumidores parcialmente livres, o que será submetido à apreciação do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) para manifestação sobre o aceite ou não, conforme diretrizes estabelecidas no normativo proposto.

"O objetivo da proposta é viabilizar, sob a ótica da demanda, alternativa que contribua para o aumento da confiabilidade, segurança e continuidade do atendimento eletroenergético aos consumidores do país, buscando sempre os menores custos", disse o Ministério de Minas e Energia em nota.

A pasta frisou que a medida atende a recomendações do CMSE para que o ministério busque alternativas que contribuam para o aumento da garantia da segurança e continuidade do suprimento de energia elétrica no país ao longo de 2021.

Grandes Consumidores

O presidente da Abrace, Paulo Pedrosa, disse à Reuters que a associação já apresentou algumas sugestões ao governo, sobre o texto proposto, e que irá contribuir durante a fase de consulta pública com avaliações técnicas, após conversar com integrantes da entidade.

Segundo ele, "30 MW médios é um bloco muito grande de energia. A maioria das fábricas da Abrace consome menos". Ele pontuou que uma sugestão seria que uma mesma empresa pudesse considerar o consumo de suas diversas fábricas somado.

Pedrosa frisou que a Abrace está disposta a contribuir e que é preciso que o processo ocorra o mais ágil possível e com o menor custo para o sistema, para que sejam alcançados os resultados necessários.

A redução compulsória do consumo de energia pelos grandes consumidores, disse Pedrosa, envolverá diversos setores de estratégia de dentro das indústrias e não apenas os que tratam de energia. Para ele, a iniciativa demandará ainda um processo de aprendizado.
Reuters
Texto extraído do portal Money Times
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas