Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Aversão ao risco derruba commodities em todo o mundo; açúcar começa semana em baixa
Publicado em 21/09/2021 às 08h11
Foto Notícia
Os contratos futuros do açúcar iniciaram a semana em queda nas bolsas de Nova York (açúcar bruto) e Londres (açúcar branco). A desvalorização seguiu a tendência das principais commodities e ações em todo o mundo, que viveu uma segunda-feira tensa com uma aversão ao risco associada a problemas de dívida na empresa imobiliária China Evergrande, que pesou nos mercados de ações globais e impulsionou o dólar americano, avaliou a Reuters.

O vencimento outubro/21 da ICE de Nova York foi contratado ontem a 18,86 centavos de dólar por libra-peso, 32 pontos a menos do que as cotações de sexta-feira (17). Já a tela março/22 caiu 27 pontos, negociada em 19,59 cts/lb. As demais telas caíram entre 9 e 24 pontos.

Em Londres o açúcar branco, no vencimento dezembro/21 foi contratado nesta segunda-feira a US$ 497,90 a tonelada, recuo de 6,90 dólares no comparativo com os preços de sexta. Já a tela março/22 desvalorizou 7,70 dólares, negociada a US$ 502,00 a tonelada. Os demais lotes recuaram entre 5 e 7 dólares.

Ainda segundo operadores ouvidos pela Reuters, a queda no preço do açúcar permanecerá limitada até que haja uma imagem mais clara das perspectivas para a safra do Brasil, principal produtor, que foi atingida pela seca e geadas nesta temporada.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a segunda-feira foi marcada por uma forte alta nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada a R$ 144,34 contra R$ 140,51 de sexta-feira, valorização de 2,73% no comparativo.

Etanol hidratado

O Indicador Diário Paulínia para o etanol hidratado fechou nesta segunda-feira praticamente estável, comercializado a R$ 3.351,00 o m³, apenas 50 centavos de real a mais do que a cotação de sexta-feira.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.