Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Preço dos combustíveis tem tendência de alta para 2022
Publicado em 23/09/2021 às 17h15
A XP divulgou projeção de alta para os combustíveis, que devem continuar em um patamar alto pelos próximos meses, considerando a alta do preço do petróleo no mercado internacional, câmbio em R$ 5,20 no ano e em R$ 5,10 em 2022 e escassez de etanol, que são utilizados para reajustar preços na Petrobras.

"Projetamos leve alta de 1,7% da gasolina entre setembro e dezembro, chegando a subir 33% no ano, segundo metodologia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Para o diesel, variação deve ser de 1,4% até o fim do ano, encerrando este com alta de 29% de alta. Em 2022, o preço da gasolina deve recuar 0,2%, e o do diesel 3,3%", disse a XP, em relatório assinado pela economista Tatiana Nogueira.

A analista aponta que após um recuo de 24% em 2020, o preço do petróleo bruto no mercado internacional cresceu 40% em 2021 até agosto, refletindo a retomada econômica pós-vacinação contra a Covid-19, além de questões pontuais de oferta da commodity, como condições climáticas nos Estados Unidos.

O relatório lembra que a gasolina avançou 2,8% no IPCA de agosto, enquanto o diesel subiu 1,79%, e já acumulam altas de 31,1% e 28% no ano, respectivamente, fato que foi ressaltado pelo deputado Arthur Lira na véspera da participação do presidente da Petrobras em comissão geral na Câmara dos Deputados iria receber o presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna, para discutir preços de combustíveis.

Tatiana lembra que a participação da Petrobras no valor final dos combustíveis pago pelo consumidor final, seja na bomba do posto de gasolina ou no botijão de gás, se dá na definição dos preços do produtor ou importador de combustível. Outros componentes do preço são a carga tributária, o custo do etanol (no caso da gasolina) ou biodiesel (no caso do diesel) e as margens da distribuição e revenda. "Cabe à Petrobras a definição da primeira, referente ao preço do combustível nas refinarias. Hoje, a estatal vende a gasolina tipo "A" a R$ 2,80 por litro e R$ 2,82 o litro de diesel", explica.

O cálculo do ajuste do preço do petróleo negociado nos mercados internacionais é feito com base tanto no preço do petróleo, quanto da variação do real (uma vez que importamos boa parte do petróleo refinado).
Fonte: Folha da Região
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.