Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Chapecó deve ganhar ramal ferroviário para receber grãos pelo Paraná
Publicado em 15/10/2021 às 14h37
Nos próximos anos, o Oeste do Paraná e o Oeste catarinense poderão estar conectados por uma estrada de ferro. É que a ferrovia paranaense Ferroeste pediu autorização do Ministério da Infraestrutura para construir uma nova linha férrea com 286 quilômetros, ligando Cascavel (Paraná) a Chapecó. O investimento é de cerca de R$ 6 bilhões, com recursos privados.

A estrada vai atender a uma reinvindicação antiga de suinocultores e avicultores do Oeste catarinense, que dependem do transporte de milho do Mato Grosso do Sul para compor a ração animal. O transporte hoje acontece via rodovia e o custo é cerca de 30% maior em comparação com o transporte ferroviário.

Santa Catarina produz apenas 40% do milho demandado para a alimentação animal do estado. Os 60% restantes, cerca de 5 milhões de toneladas por ano, são trazidos do Centro-Oeste brasileiro.

Pro Trilhos

A construção do trecho integra o recém lançado Programa de Autorizações Ferroviárias, o Pro Trilhos, instituído pela Medida Provisória nº 1.065/21 para tornar mais atrativo o investimento em ferrovias. O programa tem regras mais flexíveis em comparação à concessão, seguindo modelo já adotado nos setores das telecomunicações, energia elétrica, portuário e aeroportuário.

Em entrevista à Gazeta do Povo, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Santa Catarina (Faesc), José Zeferino Pedrozo falou sobre a iniciativa. "A expectativa é de que o novo modelo acelere as ferrovias, solucionando um gargalo logístico histórico de Santa Catarina, que é a dificuldade para trazer grãos da região Centro-Oeste do país para nutrição animal".

Até agora, o Ministério da Infraestrutura recebeu 14 pedidos para novas ferrovias em 12 estados brasileiros, totalizando 5.360 quilômetros de novos trilhos. O total de investimento previsto é de R$ 80,5 bilhões. As solicitações estão sendo analisadas pela equipe da Secretaria Nacional de Transportes Terrestres (SNTT), com base na medida provisória que abriu a possibilidade de ampliação da malha ferroviária nacional pelo modelo de autorizações.

Em relação à Nova Ferroeste, o traçado vai ter no total 1.285 quilômetros ligando Maracaju (MS) ao porto de Paranaguá (PR), com ramais ferroviários até Foz do Iguaçu (PR) e Chapecó (SC). A previsão é ser construída entre 2022 e 2029.
Fonte: Canal Ideal
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas