Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
CNA discute distribuição dos créditos de descarbonização
Publicado em 15/10/2021 às 08h47
Foto Notícia
A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) participou, na quinta (14), da audiência pública na Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados sobre a distribuição dos Créditos de Descarbonização (PL 3149/20).

O autor do requerimento para a realização do debate foi o deputado federal José Mário Schreiner (DEM-GO), vice-presidente da CNA.

Schreiner destacou a importância do RenovaBio -- a Política Nacional de Biocombustíveis -- e da participação dos produtores rurais e fornecedores de cana no processo de Crédito de Descarbonização por Biocombustíveis (CBios). Ele reforçou a necessidade de harmonia entre a cadeia produtiva para a construção de um relatório equilibrado.

"É um assunto de relevância para a agropecuária brasileira, principalmente para a produção de biocombustíveis totalmente renováveis e limpos. Precisamos de um diálogo franco e aberto para termos convergência no relatório que será elaborado", afirmou.

O presidente da Comissão Nacional de Cana-de-açúcar da CNA, Enio Fernandes, afirmou que o programa brasileiro de descarbonização é exemplo para o mundo e pediu "maturidade" para que todos os elos da cadeia produtiva possam ser remunerados adequadamente.

Na opinião dele, o Brasil é referência mundial em segurança alimentar e energética, mas o setor precisa de união para demonstrar credibilidade. Além disso, Fernandes aponta que é preciso estar preparado para os desafios que virão, como o consumo de açúcar no mundo, a questão ambiental e os questionamentos relacionados aos biocombustíveis.

"O mundo precisa de biocombustíveis e quer títulos de descarbonização e distribuição de matriz energética. Cabe a nós, agora, ajustar aquilo que cada parte merece. Se cada parte ceder um pouco, a gente vai conseguir um bom entendimento", disse.

O debate também contou com a participação de representantes da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), da Organização de Associações de Produtores de Cana do Brasil (Orplana), da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), da Associação de Produtores de Açúcar, Etanol e Bioenergia (NovaBio), da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana) e do Fórum Nacional Sucroenergético (FNS).
Fonte: CNA
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas