Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Após tocar máxima, açúcar bruto fecha em baixa em NY; etanol tem décima desvalorização seguida
Publicado em 19/11/2021 às 08h32
Foto Notícia
Os contratos futuros do açúcar fecharam a quinta-feira (18) em baixa nas bolsas internacionais. Ontem, a commodity chegou a tocar a máxima de mais de 4 anos (fevereiro de 2017) para o primeiro contrato (março) na ICE Future de Nova York, mas acabou encerrando o dia desvalorizada, com negócios em 20,18 centavos de dólar por libra-peso, 1,1%, ou 24 pontos, a menos do que a véspera. Durante o pregão esse contrato chegou a bater 20,69 cts/lb.

As demais telas da ICE Future de NY também fecharam no vermelho. O vencimento maio/22 foi contratado a 19,89 cts/lb, recuo de 19 pontos. Os demais contratos caíram entre 1 e 13 pontos.

Operadores ouvidos pela Reuters observaram que a oferta restrita, com um segundo déficit global sucessivo amplamente previsto para a atual temporada de 2021/22, continuou a apoiar os preços, enquanto os problemas da cadeia de oferta ligados em parte à pandemia de Covid-19 aumentaram o apetite por estoques.

"A Organização Internacional do Açúcar, em uma atualização trimestral, disse que a pandemia mudou a percepção sobre a manutenção de estoques da commodity. As chuvas devem retornar ao cinturão de açúcar do Brasil nos próximos dias. O provedor de informações da cadeia de oferta Czarnikow estima uma paralisação de quatro dias na moagem devido à precipitação", destacou a Agência Internacional de Notícias.

Açúcar branco

Em Londres, o açúcar branco também fechou desvalorizado em todos os lotes da ICE Future Europe. No vencimento março/22 a commodity foi negociada a US$ 516,60 a tonelada, desvalorização de 8,10 dólares. Já a tela maio/22 foi contratada a US$ 516,00, recuo de 6,30 dólares no comparativo com os preços de quarta-feira. As demais telas caíram entre 2,40 e 4,30 dólares.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a quinta-feira foi de alta para o açúcar cristal pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada ontem a R$ 155,20, contra R$ 154,57 da véspera, valorização de 0,41% no comparativo.

Etanol hidratado

Pelo décimo dia seguido os preços do etanol hidratado fecharam em baixa pelo Indicador Diário Paulínia. Desde 3 de novembro que o indicador não fecha no azul. Ontem, o biocombustível foi negociado pelas usinas a R$ 3.778,00 o m³, contra R$ 3.809,50 o m³ da véspera, desvalorização de 0,83% no comparativo entre os dias.
Rogerio Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas