Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Sob risco de um La Niña forte no Brasil, contratos do açúcar fecham em alta
Publicado em 24/11/2021 às 07h40
Foto Notícia
Preocupações quanto aos impactos do fenômeno climático La Niña na safra brasileira de cana-de-açúcar para a próxima temporada favoreceram a alta nas cotações da commodity nesta terça-feira (23) nas bolsas internacionais, que fecharam em alta em todos os lotes da ICE de Nova York e Londres.

Em Nova York, o vencimento março/22 foi contratado a 20,11 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 35 pontos no comparativo com os preços da véspera. Já a tela maio/22 foi contratada a 19,77 cts/lb, alta de 29 pontos. Os demais contratos subiram entre 8 e 23 pontos.

Operadores disseram à Reuters que estão observando de perto o potencial do fenômeno climático La Niña, que poderia levar a outra safra ruim no Brasil no próximo ano. "O departamento meteorológico da Austrália disse nesta terça-feira que um fenômeno meteorológico La Niña se desenvolveu no Oceano Pacífico pelo segundo ano consecutivo".

Ainda segundo a Reuters, o La Niña pode levar a um clima mais seco do que o normal ao sul do Brasil, região que sofreu com a seca este ano.

"Na terça-feira, o governo brasileiro reduziu em quase 10% sua projeção para a produção de açúcar nesta safra na região Centro-Sul para 30,7 milhões de toneladas após uma avaliação do impacto da seca e geadas nas lavouras", trouxe, ainda, a Agência Internacional de Notícias.

Açúcar branco

Em Londres o contrato março/22 para o açúcar branco foi contratado ontem a US$ 518,40 a tonelada, alta de 10,40 dólares no comparativo com os preços de segunda-feira. Já a tela maio/22 subiu 9,80 dólares, negociada a US$ 517,10 a tonelada. Os demais lotes subiram entre 7,70 e 9 dólares.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a terça-feira foi de baixa nas cotações do açúcar cristal medidas pelo Indicador Cepea/Esalq da USP. Ontem, a saca de 50 quilos foi negociada pelas usinas a R$ 153,48, contra R$ 154,44 a saca de segunda-feira, desvalorização de 0,62% no comparativo entre os dias.

Etanol hidratado

Pelo 13º dia consecutivo o etanol hidratado fechou em baixa pelo Indicador Diário Paulínia nesta terça-feira. O biocombustível segue em baixa desde o dia 4 de novembro. Ontem, o hidratado foi negociado pelas usinas a R$ 3.609,50 o m³, contra R$ 3.683,00 o m³ praticado na segunda-feira, desvalorização de 2% no comparativo entre os dias. No mês o indicador já recuou 8,55%.
Rogerio Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas