Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Contratos futuros do açúcar tocam mínima de 4 meses com temores sobre nova variante e seus impactos na economia global
Publicado em 03/12/2021 às 08h25
Foto Notícia
Os contratos futuros do açúcar fecharam a quinta-feira (2) mistos nas bolsas internacionais, após tocarem a mínima de quatro meses na ICE de Nova York. O mercado continua pressionado pelos temores de que a variante do coronavírus Ômicron poderia prejudicar a recuperação econômica global, destacaram analistas ouvidos pela Reuters.

Na ICE Future de Nova York, o açúcar bruto, no vencimento março/22, foi negociado a 18,62 centavos de dólar por libra-peso, recuo de 0,2%, ou 2 pontos, no comparativo com os preços praticados na véspera. Durante a sessão a commodity chegou a ficar abaixo de 18,46 centavos de dólar, menor cotação desde agosto de 2021.

Ainda segundo analistas ouvidos pela Reuters, o açúcar não deve subir apesar dos fundamentos positivos, porque o mercado continua fixado pela variante Ômicron e tem semanas de espera antes do surgimento de dados sobre a escala da ameaça que ela representa para a saúde global.

"As usinas de açúcar indianas produziram 4,72 milhões de toneladas de açúcar em outubro e novembro, quase 10% a mais do que há um ano", disse uma fonte à Agência Internacional de Notícias, que trouxe ainda que o Brasil, mais produtor global da commodity, exportou 2,67 milhões de toneladas de açúcar em novembro, contra 2,9 milhões de toneladas no mesmo mês do ano passado.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco também fechou misto com pequena variação positiva no vencimento março/22, após a tela bater a mínima de dois meses e meio, chegando a ser contratada a US$ 482,50 a tonelada. Ao final da sessão, a commodity fechou em US$ 484,70 a tonelada, 50 cents de dólar a mais, ou 0,1%, no comparativo com os preços da véspera.

Açúcar cristal

No mercado doméstico a quinta-feira foi de alta para o açúcar cristal pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada ontem a R$ 155,81 contra R$ 154,79 da véspera, valorização de 0,66% no comparativo entre os dias.

Etanol hidratado

Pelo terceiro dia seguido o etanol hidratado fechou desvalorizado pelo Indicador Diário Paulínia nesta quinta-feira. O biocombustível foi negociado a R$ 3.527,00 o m³, contra R$ 3.551,50 o m³ praticado na véspera, recuo de 0,69%.
Rogério Mian
Fonte: Agência UDOP de Notícias
Copyright© 2008 - UDOP.
Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução, desde que citada a fonte.
Mais Lidas