Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Milho recua na B3 nesta 5ªfeira, mas tendência segue positiva
Publicado em 20/01/2022 às 17h58
A quinta-feira (20) chega ao final com os preços futuros do milho se mantendo mais baixos ao longo de todo o dia na Bolsa Brasileira (B3).

O vencimento março/22 foi cotado à R$ 99,29 com perda de 0,70%, o maio/22 valeu R$ 96,82 com baixa de 0,58%, o julho/22 foi negociado por R$ 89,76 com desvalorização de 0,83% e o setembro/22 teve valor de R$ 89,52 com queda de 0,40%.

Para a SAFRAS & Mercado, o mercado brasileiro de milho teve uma quinta-feira de negócios travados em meio ao cenário de limitação na oferta. "Há um maior interesse na ponta compradora, mas os produtores seguem com a estratégia de reter as vendas, acompanhando o cenário de quebra na produção do Sul do Brasil pela estiagem".

A consultoria acrescenta que, o mercado brasileiro de milho manteve preços firmes novamente, com cotações ainda sustentadas pela oferta limitada. "E segue grande a preocupação com a quebra na safra de verão por conta do clima seco", aponta.

No mercado físico brasileiro, o preço da saca de milho contabilizou elevações em mais um dia. O levantamento realizado pela equipe do Notícias Agrícolas não encontrou desvalorizações em nenhuma das praças, mas percebeu valorizações em Castro/PR, Tangará da Serra/MT, Campo Novo do Parecis/MT, Campinas/SP e Porto Paranaguá/PR.

Confira como ficaram todas as cotações nesta quinta-feira

De acordo com o reporte diário da Radar Investimentos, "com a colheita da soja ganhando tração no Centro-Sul brasileiro e a queda rápida do dólar, os participantes do mercado físico tem se questionado se neste momento a armazenagem do milho frente a oleaginosa. A alta da taxa de juros, a queda do dólar e o avanço dos trabalhos no campo devem gerar volatilidade".

Mercado Externo

Já a Bolsa de Chicago (CBOT) começou a quinta-feira em baixa, ganhou força ao longo do pregão e encerrou o penúltimo dia da semana novamente com flutuações negativas para os preços internacionais do milho futuro, que ainda ficaram bem próximos da estabilidade.

O vencimento março/22 foi cotado à US$ 6,11 com alta de 0,50 pontos, o maio/22 valeu US$ 6,10 com queda de 0,25 pontos, o julho/22 foi negociado por US$ 6,06 com perda de 0,75 pontos e o setembro/22 teve valor de US$ 5,76 com baixa de 1,75 pontos.

Esses índices representaram quedas, com relação ao fechamento da última quarta-feira (19), de 0,16% para o maio/22, de 0,16% para o julho/22 e de 0,35% para o setembro/22, além de elevação de 0,16% para o março/22.

Segundo informações da Agência Reuters, os futuros do milho tiveram firmeza diante das condições secas na Argentina e no Brasil, mas ainda cederam após altas acentuadas nas últimas sessões.

"Após os ganhos acentuados na quarta-feira, o mercado de milho de quinta-feira teve uma leve tomada de lucro", destaca o analista do site internacional Barchart, Alan Brugler.
Guilherme Dorigatti
Fonte: Notícias Agrícolas
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas