Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Commodities agro ainda estão meio atreladas ao financeiro; só soja testa leve ajuste positivo
Publicado em 19/05/2022 às 10h42
Foto Notícia
Até que a quinta-feira (19) rode um pouco mais, especialmente à espera da abertura do mercado financeiro dos Estados Unidos e a consolidação dos negócios na Europa, as commodities agrícolas estão seguindo a linha da véspera, com pouca influência de seus fundamentos específicos.

O recuo dos futuros é generalizado, com exceção da soja, que testa um ajuste moderado de alta após fortes perdas na quarta, indo a leves 0,40%, com o bushel a US$ 16,70, às 8h50 (Brasília).

As bolsas asiáticas fecharam também em forte de vendas e os sinais dos indicadores futuros dos índices de ações nos EUA e o dólar cotado internacional (DXY) são mistos, ambos em baixa.

O petróleo também mantém a perspectiva de que a demanda ainda seguirá deprimida, por alertas em relação ao lockdown na China.

Perde em torno de 1%, a US$ 108,22 barril em Londres.

Em Chicago e Nova York, praças das negociações com os derivativos agrícolas, não se perdeu o foco nas incertezas em relação ao plantio americano de grãos, da mesma forma que segue em estado de atenção o clima seco e frio no Brasil, com resultados ainda incertos, mas sob risco, no milho, café e cana -- neste último, com reflexos no açúcar.

Houve até um certo relaxamento quando a madrugada passada não registrou o fenômeno sob muita intensidade, mas é cedo para folga.
Giovanni Lorenzon
Fonte: Money Times
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas