Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
ONU negocia exportações de grãos da Ucrânia em meio à crise de alimentos
Publicado em 19/05/2022 às 08h16
Foto Notícia
O secretário-geral da ONU, António Guterres (Foto), disse nesta quarta-feira (18) estar em "intenso contato" com Rússia, Ucrânia, Turquia, Estados Unidos e União Europeia em um esforço para restaurar a exportação de grãos ucranianos à medida em que piora a crise alimentar global.

"Estou esperançoso, mas ainda há um caminho a percorrer", disse Guterres, que visitou Moscou e Kiev no final do mês passado.

"As complexas implicações de segurança, econômicas e financeiras exigem boa vontade de todos os lados."

Em discurso em uma reunião de segurança alimentar nas Nações Unidas organizada pelo secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, Guterres apelou à Rússia para permitir "a exportação segura de grãos armazenados em portos ucranianos" e para que alimentos e fertilizantes russos "tenham acesso total e irrestrito para os mercados mundiais".

A guerra da Rússia na Ucrânia fez com que os preços globais de grãos, óleos de cozinha, combustível e fertilizantes disparassem, e Guterres alertou que isso irá piorar a crise alimentar, energética e econômica nos países pobres.

"Ela ameaça levar dezenas de milhões de pessoas à insegurança alimentar, seguida de desnutrição e fome, em uma crise que pode durar anos", disse Guterres.

A Ucrânia costumava exportar a maioria de seus produtos por meio de portos marítimos, mas desde a invasão da Rússia em 24 de fevereiro foi forçada a exportar por trem ou por meio de pequenos portos no rio Danúbio.

O chefe de alimentos da ONU, David Beasley, apelou ao presidente russo, Vladimir Putin: "Se você tem coração, por favor, abra esses portos".

Beasley lidera o Programa Mundial de Alimentos, que alimenta cerca de 125 milhões de pessoas e compra 50% de seus grãos da Ucrânia.
Reuters
Texto extraído do portal Investing.com
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas