Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Petróleo fecha em forte queda, apesar de dados de estoques positivos para os preços
Publicado em 19/05/2022 às 08h45
Os contratos futuros do petróleo fecharam em forte queda, nesta quarta-feira (18), com a piora do humor generalizada em Nova York compensando os dados positivos de estoques nos Estados Unidos e o otimismo com a reabertura econômica da China.

O contrato do petróleo Brent, a referência global da commodity, para julho fechou em queda de 2,51%, a US$ 109,11 por barril, enquanto o do petróleo americano WTI para o mesmo mês recuou 2,36%, a US$ 107,04 por barril.

O índice dólar DXY, que normalmente tem correlação negativa com o petróleo, operava em alta de 0,50%, a 103,872 pontos.

Estoques nos EUA

Os dados de estoques nos Estados Unidos surpreenderam ao indicar uma queda acentuada de 3,394 milhões de barris nas reservas de petróleo bruto, contra expectativa de alta de 1,4 milhão. Os estoques de gasolina também anotaram uma forte queda na semana, recuando 4,779 milhões, contra expectativa de queda de apenas 1 milhão de unidades.

Apesar dos dados de estoques, que em princípio seriam positivos para os preços do petróleo, os contratos futuros da commodity acompanharam uma forte piora do humor em Wall Street, em meio aos temores sobre a inflação e a resposta de política monetária do Federal Reserve (Fed, o BC americano).

Wall Street

O índice S&P 500 operava em queda de 3,92%, a 3.928,62 pontos, por volta das 16h40, menos de 100 pontos acima do nível que o colocaria em "bear market" --- um nível técnico que indica tendência de queda e é definido por uma queda de mais de 20% em relação ao pico recente. O Nasdaq, que já segue firmemente em "bear market", recuava 4,47%, a 11.449,25 pontos, enquanto o Dow Jones cedia 3,47%, a 31.522,26 pontos.

As bolsas de Nova York anotam fortes perdas depois que os balanços trimestrais do setor de varejo reacenderam os temores sobre os impactos da inflação elevada na recuperação econômica dos EUA. A ação da varejista Target recuava 27,62%, depois que a empresa divulgou ganhos trimestrais abaixo das expectativas dos analistas, com os custos relacionados à cadeia de abastecimento e as pressões inflacionárias reduzindo os lucros.

A ação do Walmart caiu 11,38% ontem, depois que a companhia divulgou resultados parecidos com os da Target, também reportando que a alta dos preços de alimentos e de outros custos relacionados ao abastecimento reduziram os lucros no primeiro trimestre.
Fonte: Valor Econômico
Texto extraído do boletim SCA
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas