Este site utiliza cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência. Ao continuar navegando
você concorda com nossa política de privacidade. Política de Privacidade

Facebook
Instagram
Linkedin
Twitter
Youtube
Fale Conosco
Com pressão do governo, Paes de Andrade deve assumir Petrobras em menos de uma semana
Comitê de Elegibilidade marcou para sexta-feira (24) a reunião que vai decidir se o indicado pelo governo é elegível para a função; Conselho de Administração pode se reunir na sequência
Publicado em 22/06/2022 às 09h08
Foto Notícia
O indicado pelo governo federal há quase um mês pode assumir o comando da Petrobras em menos de uma semana. O publicitário Caio Mario Paes de Andrade já está sendo avaliado pelo Comitê de Elegibilidade, que recebeu nesta terça-feira (21) os dossiês de governança e integridade, resultados do pente-fino interno feito nos antecedentes dele.

O grupo é composto por cinco pessoas: dois conselheiros indicados por acionistas minoritários (Francisco Petros e Marcelo Mesquita), um conselheiro indicado pelo governo (Luiz Henrique Caroli) e dois membros independentes convocados para esta função (Ana Silvia Matte e Tales Bronzato).

A CNN apurou que a tendência é aprovar o nome de Andrade, afirmando que ele é elegível para uma cadeira no Conselho.

A reunião está marcada para as 16h da próxima sexta-feira (24). Fontes que acompanham esse processo afirmam que o Conselho de Administração pode se reunir na sequência, à noite, ou até no sábado (25) para eleger o indicado do governo para ocupar a cadeira vaga após a renúncia de José Mauro Coelho nessa segunda (20). A CNN entrou em contato com o presidente do Conselho, Márcio Weber, mas ele não quis comentar o assunto.

Embora os dossiês de checagem sejam sigilosos, a ata da reunião do Comitê é pública, pois precisa ser publicada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O órgão, inclusive, já abriu dois procedimentos para investigar a troca de comando na estatal.

A CNN apurou com fontes do alto escalão da Petrobras que o departamento jurídico da estatal foi questionado se o Conselho poderia se reunir antes dessa publicação na CVM. A resposta deve vir nesta quarta-feira. Não está claro ainda se isso feriria regras de mercado.

Se o processo fluir como esperado, Paes de Andrade pode ter uma cerimônia de posse na Petrobras realizada na segunda-feira (27). A posse de José Mauro Coelho foi realizada no início da tarde do dia 14 de abril, horas depois da reunião do Conselho que o tornou presidente da estatal.

Ela foi realizada no auditório do novo prédio da Petrobras, na rua do Senado. Estiveram presentes familiares dele, diretores da Petrobras, membros do Conselho e o então ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, que indicou ele ao cargo. A imprensa foi vetada.

Sinal amarelo

Como antecipado pela CNN, o relatório entregue pelo departamento de Compliance da Petrobras acendeu um ?´sinal amarelo?´ para Paes de Andrade. Foram feitos dois alertas pelos analistas de conformidade: o primeiro sobre a formação e o segundo sobre a experiência profissional de Andrade.

O relatório afirma que o currículo dele é incompatível com o cargo. Mas fontes ligadas ao Comitê de Elegibilidade, no entanto, afirmam que ele será aprovado mesmo assim.

A leitura de quem acompanha o processo é que Caio Mario Paes de Andrade passou na peneira mais severa: o Background Check de Integridade. Foi ele que travou a entrada na Petrobras de Rodolfo Landim e Adriano Pires, que desistiram das indicações ao se depararem com conflitos de interesses. O problema, no entanto, foi no Background Check de Governança, onde foram feitos os alertas.

A trava apontada é o artigo 28 do decreto 8.945, que regula a Lei das Estatais. Ele determina que o indicado tenha ?´formação acadêmica?´ e ?´notório conhecimento?´ compatíveis ?´com o cargo para o qual foi indicado?´.

Para o Compliance da Petrobras, o requisito não é plenamente cumprido por Andrade. Questionado sobre isso pela CNN, ele não quis comentar o assunto. O Ministério de Minas e Energia também não comentou.
Fonte: CNN Brasil
Notícias de outros veículos são oferecidas como mera prestação de serviço
e não refletem necessariamente a visão da UDOP.
Mais Lidas